1 milhão de japoneses viciados na Internet

   

Até que demorou para que o pessoal admitisse que existem muitos viciados na Internet e em telefone celulares. O que era para ser uma ferramenta para auxiliar em pesquisas e comunicação, acabou por ser mais um motivo para preocupações.

Não sei como os "especialistas" fazem para tentar curar essa doença, mas tenho certeza da gravidade da situação. Basta observar nos trens, aeroportos ou em qualquer lugar que forme uma fila. De cada dez pessoas, pelo menos 8 pessoas estão com os celulares nas mãos. Não olham ao redor, não conversam com ninguém, não fazem outra coisa a não ser ficarem com a cabeça baixa olhando o aparelhinho. Alguns até falam e riem sozinhos. Será que estão ficando loucos ou conversando com algum fantasma?

As vezes dá até raiva de ficar vendo esse monte de gente fechado em seus mundos, curtindo horas de egoísmo, esquecendo até da vida. Será uma fuga da realidade, tão cruel e trabalhosa?

Numa pesquisa, saiu que no Japão existem quase 1 milhão de viciados, a grande maioria jovens do ensino médio e fundamental. Pode uma coisa dessa?

Meninos e meninas em início de vida já viciados, usando games e redes sociais como fuga do mundo verdadeiro, que não é cor de rosa, mas é verdadeiro.

Outro milhão estão enquadrados numa fase de "suspeitos" pelo uso excessivo, o que é outro problemão. Já pensou se na próxima pesquisa aparecem 2 milhões de viciados? Onde haverá tantos médicos para tratar toda essa gente? O agravante é que dentro desse rebanho de viciados, muitos ficarão doentes por muito tempo, não conseguindo relacionamentos satisfatórios e empregos, ficando à margem da sociedade que já está em perigo pela falta de mão de obra.

Por aqui foi definido como viciado a pessoa que dá preferência em continuar olhando para o display, mesmo quando uma pessoa importante do seu meio esteja precisando de ajuda, ou que não consegue diminuir o tempo de uso mesmo se esforçando. Um questionário com oito perguntas com essa linha de pensamento foi entregue às pessoas, e os que responderam afirmativamente em 5 dessas questões foram definidos como dependentes, para usar um termo mais bacana do que viciado.

Outro estudo mostrou que o dependentes podem ficar com depressão devido ao isolamento social, irritados e agressivos e com danos mentais permanentes.

O interessante é que tanto o "smartphone" como a Internet são ótimos para essa vida corrida, que para uns significa modernidade. Parece que o que veio para ajudar, está contribuindo também para destruir. Acho que é como um remédio que tanto pode curar, como matar, dependendo apenas da dosagem.

Viciados na Internet