Álcool, drogas e stress na sociedade japonesa

   

O polonês Dariusz Skowronski é psicólogo e fez algumas observações interessantes sobre a adaptação dos estrangeiros em terras japonesas. Ele diz que em busca de adaptação na sociedade nipônica causa muito "stress" aos estrangeiros por causa da cultura peculiar e das regras não escritas, aquelas que estão nas entrelinhas, em alguns olhares recriminatórios da sociedade.

Esse "stress" leva muitos "gaijins" ao consumo excessivo de álcool, pois para parecerem sociáveis e se integrarem aos companheiros de trabalho, participam de reuniões e passam a consumir bebidas alcoólicas mais do que estão habituados em seus países de origem. Outros, por sentirem-se reprimidos partem para drogas, numa espécie de liberdade ilusória.

Skowronski diz ainda que muitos estejam precisando de ajuda profissional e não percebem. Outros não sabem como procurar ajuda e acabam adiando problemas em vez de resolvê-los. O resultado disso são os problemas conjugais, dificuldades para reagir às dificuldades inerentes a profissão e o isolamento voluntário.

O Japão é um ótimo país para passear, pela sua segurança e atrativos diferentes pouco vistos em outros lugares do mundo. São recebidos com gentileza profissional, seus aeroportos estão entre os melhores do mundo, possui tecnologia de ponta e as cidades são limpas. Perfeito para quem vem passar alguns dias por aqui.

Mas, para os que necessitam viver por longo período o perigo existe e precisa ser trabalhado.

Para isso é necessária uma campanha esclarecedora sobre as diferenças culturais, e principalmente sobre as dificuldades de adaptação numa sociedade que valoriza excessivamente a aparência e o cargo profissional.

Alguns jovens já admitem que o povo, principalmente os de meia idade, está precisando de mais comunicação e interação com os outros, não importando o cargo e nem seus rendimentos. Dizem que todos estão precisando de mais amor, carinho e aconchego.

E eu aqui, no meio desse turbilhão de emoções.

Invenção do amor