Começou a J.League 2015

   

Já foram duas rodadas este ano e parece que a J.League, tecnicamente falando, não mudou quase nada. Os jogos continuam embolados e muitos dos gols acontecem mais por falha do que por méritos. Enfim, é o futebol japonês começando o ano.

Pelo menos em 2015 teremos três equipes novas na primeira divisão. Montedio Yamagata, Bellmare Hiratsuka e Matsumoto Yamaga, todos vindo da segunda divisão, em substituição aos rebaixados Cerezzo Osaka, Omiya Ardija e Tokushima Vorts.

A primeira vista parece que o melhor futebol está com o Matsumoto Yamaga, mas não sabemos se a equipe terá elenco com qualidade suficiente para suportar o campeonato inteiro, principalmente quando o verão chegar.

Montedio e Bellmare devem apenas lutar para não serem rebaixados novamente.

Este ano são 61 atletas estrangeiros na J.One (primeira divisão), sendo que trinta e quatro são brasileiros. O restante está distribuído entre dez países, o que mostra uma tentativa de globalizar o futebol e torná-lo mais atraente.

O grande problema é que praticamente todos os estrangeiros são desconhecidos e quase não servem de marketing para atrair mais público, mesmo assim podem mostrar um futebol mais leve e com mais plasticidade, além da consciência profissional que às vezes falta por aqui.

Toninho Cerezzo e Nelsinho Baptista são os únicos treinadores brasileiros e estão respectivamente no Kashima Antlers e Vissel Kobe. Ambos já foram campeões da J.One e são muito respeitados por todos.

Apesar de apenas duas rodadas, já deu para perceber que não haverá um time espetacular no campeonato que este ano não serão dois turnos de pontos corridos, mudança realizada na tentativa para atrair mais público.

Público este que vem diminuindo ano após anos, causando apreensão aos cartolas da J.League que parecem perdidos, sem saberem o que fazer. Das dezoito equipes, apenas quatro nunca foram rebaixadas. São eles: Kashima Antlers, Nagoya Grampus, Shimizu S-Pulse e Nissan Yokohama Marinos. As outras 14 equipes já oscilaram entre a segunda e a primeira divisão, mostrando pouca consistência em seus elencos.

Existem também as equipes que nunca chegam ao pelotão de cima, como o Ventforet Kofu, Niigata Albirex, Vegalta Sendai ou F.C.Tokyo.

A minha esperança é acreditar que possa surgir algum atleta ou equipe que deixe o futebol mais bonito trazendo um pouco de esperança para centenas de garotos que visam o profissionalismo. Seria como uma tulipa nascendo no deserto.

Gols da rodada