Demitido por acusação de manipulação de resultados.

   

As trapalhadas no futebol profissional continuam por aqui. A Federação Japonesa de Futebol contratou o mexicano Javier Aguirre para treinar a seleção. Os acertos foram após a Copa do Mundo, quando Aguirre deixou o selecionado mexicano. Isso tudo foi há seis meses.

Depois de alguns amistosos contra equipes fraquíssimas, falta de novo padrão de jogo e a decepção na Copa da Ásia, as críticas ficaram mais fortes ao ponto de alguns "jornalistas" pedirem a demissão do treinador.

Os homens da federação bateram o pé e disseram que não haveria demissão porque o programa estava sendo seguido sem grandes problemas.

O que eles não sabiam é que Aguirre está sendo acusado de participar de manipulações de resultados na Espanha. Na Europa, parece que o assunto já era bem conhecido, mas os dirigentes da Federação Japonesa desconheciam, tanto que contrataram o mexicano.

A seleção depois de ser eliminada precocemente da Copa da Ásia, começava o preparativo para disputarem as eliminatórias asiáticas em junho para a Copa do Mundo da Rússia, e Aguirre já começava a fazer novas observações para suas futuras convocações.

O balde de água fria veio quando o assunto da manipulação começou a ganhar os noticiários tendo Aguirre como um dos envolvidos.

As críticas maiores estão sendo contra os dirigentes da Federação por não saberem do passado do treinador, e terem demorado muito para tomarem uma atitude, que só veio porque todos perguntavam como o Aguirre seguiria treinando a seleção caso seja condenado pela justiça esportiva espanhola.

Não custa lembrar que os dirigentes daqui são amadores, não entendem ou entendem pouco de futebol, sendo que a maioria nunca chutou uma bola. De uma maneira geral contratam mal e gostam de posar de poderosos. Sem dizer que adoram empresários que "vendem" seus atletas mostrando apenas um DVD, e muitos têm comprado gato por lebre.

Apesar da organização dos jogos serem boas e os estádios de primeira linha, o futebol propriamente dito está estacionado e perdido nas mãos dessas pessoas, que parecem seguir a linha de atuação e pensamento de vários cartolas brasileiros.

Com a demissão do treinador, os dirigentes correm atrás de um novo nome e alguma surpresa pode aparecer nos próximos dias, e pode ser até o Felipão. Por que não?

Aguirre, ex-treinador da seleção japonesa