Quanta estrela, Celsinho!

   
Gustavo Oliveira/LEC

Ele é amado por muitos e odiados por tantos outros. Depois de três anos o meia Celsinho voltou ao Londrina e bastou um toque na bola para garantir a vitória por 2 a 1 sobre o Brusque na noite deste sábado (14), no estádio do Café.

Após quase um mês de treinamento para se recondicionar fisicamente, Celsinho reestreou com a camisa alviceleste aos 24 minutos do segundo tempo quando o placar apontava 1 a 1. No seu primeiro toque na bola, o meia tabelou com Adenílson, que deixou Celsinho na cara do gol para marcar o gol da vitória aos 25 minutos.

Celsinho entrou no lugar de Carlos Henrique, que mais uma vez foi muito mal no jogo. Quem sabe o ex-camisa 10 pode ser um falso 9 na sequência do Brasileiro. É uma alternativa para ser pensada com muito carinho pelo técnico Alemão.

Diferente dos jogos contra Boa Esporte e São Bento, o Londrina teve uma outra postura em campo e foi melhor que o adversário em quase todo o jogo. É bem verdade que o Brusque veio desfacelado pelo surto da Covid-19, mas o LEC mereceu demais a vitória.

Foi tão melhor que abriu o placar logo aos sete minutos. Adenílson, o melhor em campo depois de três jogos apagados, sofreu e bateu bem o pênalti. O Tubarão teve chances para construir uma vitória mais elástica, mas o futebol é traiçoeiro. O time perdeu oportunidade e foi castigado aos 20 do segundo tempo. Jefferson fez um golaço da entrada da área para empatar o jogo.

Com a entrada de Celsinho, o time ganhou um novo ânimo, não se abateu e marcou o segundo logo na sequência. Vitória decisiva que leva o LEC a sétima vitória seguida no estádio do Café e ao segundo lugar do grupo, com 24 pontos, muito perto da classificação.