REAÇÃO EM CADEIA

   

Em 1996 Keanu Reeves tinha pouco mais de dez anos de carreira e além de experimentar diferentes gêneros tinha trabalhado com grandes diretores como Francis Ford Coppola, Bernardo Bertolucci e Gus Van Sant, por exemplo. Nesse período ele aproveitava o sucesso de Velocidade Máxima, feito dois anos antes. Já o diretor Andrew Davis vinha do grande sucesso de O Fugitivo e uniu forças com Reeves neste Reação em Cadeia. O roteiro, escrito por J.F. Lawton e Michael Bortman, a partir de uma história de Arne Schmidt, Rick Seaman e Josh Friedman, não foge de elementos recorrentes na filmografia do diretor. Eddie (Reeves) trabalha com um cientista que descobriu uma maneira de tirar energia da água. Algo simples e acessível que ele pretende compartilhar gratuitamente. A morte do cientista e subsequente explosão de seu laboratório colocam Eddie, junto com Lily (Rachel Weisz) no meio de uma conspiração que envolve espiões e terroristas. Reação em Cadeia, apesar de ter uma premissa profunda quanto um pires, faz jus ao título que tem e apresenta ação constante. Mas isso não foi suficiente para convencer o público e fracassou nas bilheterias.

REAÇÃO EM CADEIA (Chain Reaction - EUA 1996). Direção: Andrew Davis. Elenco: Keanu Reeves, Morgan Freeman, Rachel Weisz, Fred Ward, Kevin Dunn, Brian Cox, Joanna Cassidy, Chelcie Ross e Tzi Ma. Duração: 107 minutos. Distribuição: Fox.