UM TIRA DA PESADA II

   

Em 1984, um filme estrelado por um astro em ascensão inovou ao conquistar o grande público misturando comédia com policial. Estou falando de Eddie Murphy e Um Tira da Pesada. É claro que o sucesso alcançado junto à possibilidade de uma nova franquia era irresistível para a Paramount, estúdio produtor da obra. E três anos temos este Um Tira da Pesada II, dirigido por Tony Scott, que havia trabalhado no ano anterior com os produtores Jerry Bruckheimer e Don Simpson em Top Gun. A nova aventura do detetive Axel Foley (Murphy), que mais uma vez sai de sua Detroit para Beverly Hills, teve o roteiro escrito por Larry Ferguson e Warren Skaaren, a partir de uma história criada pelo próprio Murphy e Robert D. Wachs. O que o leva de volta à Califórnia é a notícia de que seu amigo Andrew Bogomil (Ronnie Cox) foi baleado. Lá Axel reencontra os detetives Taggart (John Ashton) e Rosewood (Judge Reinhold) e junto com eles investiga uma série de assaltos conhecida como "crimes do alfabeto”. Tony Scott dirige bem cenas de ação. No entanto, Um Tira da Pesada II não consegue repetir o mesmo charme do filme original. A ânsia dos produtores em fazer algo maior e intenso termina prejudicando o resultado. Um pouco de sutileza teria sido bem-vindo.

UM TIRA DA PESADA II (Beverly Hills Cop II - EUA 1987). Direção: Tony Scott. Elenco: Eddie Murphy, Judge Reinhold, Jürgen Prochnow, Ronny Cox, John Ashton, Brigitte Nielsen, Allen Garfield, Dean Stockwell, Paul Reiser e Gilbert R. Hill. Duração: 100 minutos. Distribuição: Paramount.