XXY

   

XXY marca a estreia na direção da roteirista argentina Lucía Puenzo, que é filha do cineasta Luis Puenzo, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro com A História Oficial, em 1986. O roteiro, escrito pela própria diretora, tem por base o conto Cinismo, de Sergio Bizzio, e gira em torno de Alex (Inés Efron), que nasceu com ambas as características sexuais. A ação se passa em uma pequena vila de pescadores no Uruguai, local onde os pais de Alex (Ricardo Darín e Valeria Bertuccelli) vão morar para fugir dos médicos que queriam operar a criança. A rotina muda com a chegada de um casal de amigos (Germán Palacios e Carolina Pelleritti) que chegam com o filho Álvaro (Martin Piroyansky), um adolescente. Surge então uma forte atração entre os jovens e faz aflorar alguns conflitos. YYZ não parece um filme de estreante. Lucía Puenzo vinha de uma experiência de seis anos como roteirista, além, é claro, de ser filha de quem é. Isso deu a ela a segurança necessária, eu acredito, para conduzir uma narrativa segura, direta e sensível ao lidar com um tema tão delicado e pouco explorado pelo cinema.

XXY (Argentina 2007). Direção: Lucía Puenzo. Elenco: Ricardo Darín, Inés Efron, Valeria Bertuccelli, Germán Palacios, Carolina Pelleritti, Martín Piroyansky, Guillermo Angelelli, Luciano Nóbile e César Troncoso. Duração: 86 minutos. Distribuição: Imovision/Netflix.