E o tanto de palpite?

   

Gente do céu! Vocês também escutam palpites de tudo quanto é jeito?

Quando engravidei, recebia pelo menos dez palpites ao dia e pensava: é uma fase. Que fase, hein! 😂. Depois que minha filha nasceu... o "trem" só piorou!

Tem que dar "mamá" de duas em duas horas, hein!

Já caiu o umbigo? Tá muito cedo.

Ela tá com olhar meio parado, não é melhor ligar pro médico?

Não engatinha ainda?

Ihhhh, tá mal acostumada. Também, só fica no colo!

Deu chupeta?!?

Me lembro que recebi uma receita espetacular caso tivesse cólica: dar pequenas doses diárias daquela água do cozimento do frango. Isso mesmo! Aquela com a gordurinha que fica ali. Como não passei por isso, nem testei. 😅.

É muito palpite pra uma mãe só!

E não é que o tempo passa e os danados ainda estão aí, firmes e fortes? 🤔

Mudam conforme a idade dos filhos. São progressivos. E muda também a maneira de palpitar. Às vezes aparecem em forma de indireta e com as redes sociais, podem aparecer também como #ficaadica.

É claro que pegar algumas dicas, trocar experiências e escutar os conselhos das abençoadas avós ajuda e muuuuuito! Mas os palpites...

Quem acompanha o blog ou me conhece beeeem, sabe que tenho hábito de fazer cara de paisagem e virar os olhos 🙄 quando algo não me agrada ou não concordo. Foi no início da gestação e dos palpites que comecei. E nunca mais esqueci. Levo pra vi-da! Kkkk.

Com palpites, todo cuidado é pouco. Sempre penso: Se não gosta de receber, também não os dê.

Mas nem sempre funciona assim, né?

Estão de plantão 24 horas.

É puxado, hein. É puxado!

Bjs