Dois poemas de Vania Clares

   

GENESE

O dia nasceu em mim

e ficou...

No silêncio a solitude

de um estado orgásmico

comungando o intermeio,

a entrecena onde sei

que nada sei e fico.

E além de nela pousar

o que preciso

além da permissão?

Da nulidade à completude

basta esse encantamento

para celebrar a semente

Vania Clares

DAS ESCOLHAS

A fome e a sede de doces palavras

denunciam o sonho e o meu desejo.

Quero voz para libertar as amarras,

minha ânsia delira no que versejo.

Como desassociar de mim o espaço

onde perfazem mil eus e seus rumores?

Arrasto as dores e nas almas me embaraço,

assumo como meus os seus temores

Céus! Concedam que em mim se recicle

todo o mal que os incrédulos germinam.

Seja eu poeta, aquele que ciente permite

se formar na essência o que ensejam!

E quando em mim o desalento acumula

o resto, a ira, a revolta, eu também lamento.

Ordeno, separo das palavras o que anula

o encantamento, e lanço ao dia renascimento!

Vania Clares

Vania Clares, paulistana, poetisa, escritora e contista, escreveu dezessete livros, treze publicados na amazon.com. Membro da ACL-Academia Contemporânea de Letras.

vaniaclares.blogspot.com