Algoz da Seleção Brasileira passa vergonha como técnico

   

Thierry Henry é um dos maiores jogadores da história da França, um atacante que sempre foi diferenciado. Durante a Copa do Mundo de 2006, ele foi o grande carrasco da Seleção Brasileira - no jogo de quartas de final (aquele que o Roberto Carlos ficou arrumando o meião na cobrança de falta) - com gol dele e baile de Zidane.

Na Copa do Mundo deste ano, como auxiliar técnico da Seleção Belga, ele foi destaque na delegação e cotado para dirigir clubes pelo mundo. Bem, finalmente a oportunidade chegou pelo time do Mônaco e a experiência até aqui tem sido catastrófica. Um vexame.

Até aqui, são 5 jogos, com 2 empates e 3 derrotas. São 4 gols feitos e 10 sofridos. Ontem, o ápice da vergonha: em seu primeiro jogo comandando o time pela UEFA Champions League, tomou uma sapatada de 4 a 0 do desconhecido Club Brugge em casa. O time é lanterna do grupo e já está fora da competição.

Vale dizer. O Mônaco tem 17 jogos na temporada e apenas 1 vitória. A pergunta é: valorizaram demais Henry ou a fase do clube também não ajuda?

E teve até gol brasileiro no baile de ontem no estádio Louis II.

Ah, a internet, claro, continua não perdoando