Medalhões à Guarabyra

   

Olá, pessoal!

Tudo bem?

A receita de hoje é muito especial!

Desde que me conheço por gente, sou muito fã do Guttemberg Nery Guarabyra Filho, que, junto com o Luiz Carlos Pereira de Sá, forma a famosíssima dupla Sá & Guarabyra.

Se você acredita que não sabe muito bem do que eu estou falando, preciso te esclarecer que sucessos estrondosos como Dona, Espanhola, Sobradinho, Roque Santeiro, Estrela Natureza, Quem Saberia Perder, Primeira Canção da Estrada/Pó da Estrada - entre tantas outras, como, por exemplo, a belíssima O Silêncio é de Ouro - são músicas do Sá e do Guarabyra!

Pois bem: o Guarabyra também é um grande apreciador de vinhos, e também manda muito bem na cozinha, com receitas extremamente criativas! Ele, aliás, já teve um restaurante, em Ubatuba, e tudo mais (mas isso já é outra história).

Foi sobretudo por conta do blog que o Guarabyra e eu começamos a conversar, já faz um tempo, e ele se mostrou sempre uma grande pessoa, interessado por um sem número de assuntos (que se dedica a estudar com afinco), além do grande artista que todo mundo conhece!

A receita de hoje, pasmem, foi desenvolvida e enviada pelo próprio Guarabyra, que teve a paciência de me explicar detalhadamente passo a passo - e, aqui, fica registrado o meu agradecimento especial a ele!

Agora vamos a algumas observações importantes sobre essa receita:

O queijo utilizado no preparo da receita foi o brasileiríssimo "Serra", da Balkis - inspirado no famoso Queijo Serra da Estrela, famoso produto português preparado a partir do leite de ovelhas, característico tanto pelo sabor, quanto pela textura. Para retirar a quantidade que será utilizada na receita, abra por cima, e pegue com uma colher a parte do centro.

O Guarabyra usou, para temperar os medalhões, sal rosa, do Himalaia (que tem um sabor mais suave), e, para flambar, o whisky Johnnie Walker Double Black (que tem notas de carvalho defumado bem acentuadas).

Quanto ao ponto do molho: quando você acrescentar o queijo, ele vai alcançar o ponto de cremosidade bem rapidamente, e o ideal é que o molho não perca a fluidez.

Quanto à preparação: nós explicamos a preparação dos medalhões e do molho separadamente; mas o ideal é que você consiga preparar ambos de forma razoavelmente simultânea, para que os medalhões não esfriem enquanto você prepara o molho (principalmente levando em conta que o molho é preparado em fogo baixo).

Vamos lá!

Ingredientes:

4 medalhões de filé mignon

1/2 xícara (chá) de queijo serra

2 cebolas médias picadinhas

50ml de água

páprica picante

manteiga

azeite

sal

whisky

Modo de Fazer:

Tempere os medalhões com sal a gosto.

Aqueça, no fogo alto, uma frigideira anti aderente, com manteiga e um fio de azeite, e, quando a temperatura estiver estabilizada, grelhe os medalhões, por um minuto e meio de cada lado. Após esse tempo, adicione uma dose de whisky e flambe. Tire os medalhões da frigideira, e reserve o caldo que tiver ficado nela.

Leve bastante manteiga (dois pedaços de 2cm cada, de um tablete normal de manteiga) com um fio de azeite ao fogo baixo, e coloque a cebola para refogar. Quando a cebola estiver bem dourada, adicione a páprica picante, a gosto, e a água. Assim que a água acabar de "esfumaçar", acrescente o queijo e o caldo reservado da fritura. Mexa bem, deixando o queijo alcançar o ponto de cremosidade sem perder a fluidez.

Distribua o molho sobre os medalhões. Sirva com arroz branco e/ou purê de batatas. A receita também vai muito bem acompanhada de um bom vinho tinto (o Guarabyra optou pelo argentino da Vinícola Dominio del Plata, o Suzana Balbo Gran Reserva Red Blend 2012, que combina uvas Malbec, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc).

É isso aí, pessoal!

Esperamos que essa interessantíssima contribuição do Guarabyra seja a primeira de muitas outras, e que também sirva de incentivo para que mais gente mande suas próprias receitas. A gente edita e traz para cá, e assim o blog vai ganhando um repertório mais variado.

Ficam, também, todos convidados a curtir nossa fanpage para ficar sempre a par das novidades que trazemos para cá e de outras notícias que compartilhamos apenas por lá.

Um abração e "inté",

Thiago "Virgulino"