Leitora questiona por que a busca pela perfeição a consome tanto

   

Pergunta da Leitora - A ideia de perfeição massacra

Sou uma mulher casada e mãe de duas crianças. Tenho uma vida muito boa e que não me dá o direito de reclamar. Me considero feliz a não ser por um ponto. Eu sempre fico muito ansiosa e preocupada se estou sendo uma mãe boa, uma mulher boa. Sempre quero ser perfeita em tudo. Sei que ninguém é perfeito e nem pode ser perfeito, mas eu sempre me pego pensando que queria ser perfeita. Não quero que meus filhos nada sofram e não quero que ninguém tenha algo a dizer sobre a maneira que eu os crio. Não quero que meu marido sequer pense que não sou a mulher perfeita para ele. Isso me consome muito e não sei o que fazer. Preciso de ajuda.

Nesta vida ou a gente tenta ser perfeito ou se permite ser a si próprio. Não dá para viver os dois ao mesmo tempo. Um exclui o outro. Portanto, temos que decidir o que queremos e/ou podemos ser. O problema é que se você insistir na perfeição cada vez mais ficará longe da pessoa que pode vir a ser.

Primeiro é necessário se indagar sobre a origem dessa obrigação que você se colocou de que tem que ser perfeita. Ao que será que você responde quando se impõe a perfeição, seja lá o que ela for? Você vai saber sobre isso se se debruçar sobre sua história de vida. Em algum ponto no decorrer de sua vida essa "obrigação” foi instituída e compreender sobre as razões que levaram a isso pode te fornecer informações importantes a serem elaboradas.

Será que há uma dificuldade em lidar com as críticas/agressividade dos outros? Será que você acredita que tem que agradar os outros? São muitas as possibilidades que pedem por atenção e consideração. Enquanto ficar presa ao que for que te mantem nessa posição não poderá ser você mesma. E é sempre um desperdício quando não nos permitimos ser nós mesmos.

São muitas as pessoas que gastam tempo e energia tentando ser um personagem que acreditam que têm que ser. Um personagem é algo muito superficial e que está a serviço das idealizações. Para viver a vida as idealizações precisam ser deixadas de lado. Assim, a mulher que você pode vir a ser verdadeiramente pode ser descoberta e desenvolvida. A mãe que você pode vir a ser tem como desabrochar e ir aprendendo com as experiências. Ao invés de perfeição sua atenção deveria estar na totalidade, em ser você mesma integralmente. Não perca tempo e procure ajuda para se descobrir.