Pergunta da leitora: o passado precisa ser revisitado?

   

Queria muito fazer análise para resolver algumas coisas na minha vida mas tem um porém: Não quero ter que revisitar o passado. Aliás acho isso tudo uma bela bobagem da psicoterapia. Por que eu deveria analisar o passado? Minha vida é agora, acontece já e o que passou já passou. Não tem sentido falar do passado e de quando eu era criança e tal. Para que tudo isso? Quem gosta de passado é museu. A gente deve sempre olhar para a frente e não ”se debruçar sobre o passado”. Tem algum tipo de terapia que seja a certa para mim? Uma terapia que não tenha que fazer com que eu tenha que perder tempo?

A psicanálise se volta ao passado não por um capricho tolo, mas porque tem um sentido ao procurar entender o que já se passou. Nem sempre é fácil pensar sobre o que se passou e a tentação de deixar o passado esquecido é muitas vezes grande. Só que quem foge de seu passado na verdade foge de si próprio. Você tenta fugir de si mesma e isso nunca ajudou ninguém.

Ao se debruçar sobre o seu passado não significa que você vai esquecer o tempo presente e viver um tempo que já não mais existe, mas vai, sim, entender melhor sobre as coisas que te acontecem agora e com isso poder vir a mudar o seu futuro. No fundo os tempos estão conectados e não dá para separá-los como se um não tivesse nada a ver com o outro. Você quer dividir o indivisível.

Todos carregam uma história e entender a sua história é a maneira de compreender a pessoa que você é hoje. Você diz que quer resolver algumas coisas na sua vida, mas muito provavelmente essas coisas vão ter uma ligação com eventos no passado e quem desconhece seu passado e suas razões tende a se repetir. Analisar seu passado lhe dá a chance de encontrar respostas novas para o presente e construir um futuro mais favorável.

Ficar presa ao passado é uma coisa, porém aprender com ele é outra bem diferente. Você confunde as coisas e essa confusão te impede de se conhecer melhor e lidar melhor com o seu presente. O passado não deve jamais ser esquecido, mas ser usado como algo que leva ao aprendizado, se você assim permitir. Você sabe por que existem os memoriais como o memorial do holocausto, por exemplo? Não é certamente para ficar preso à história, mas para se aprender com a história e não deixar algumas coisas se repetirem. Querer esquecer o passado é querer esquecer a sua história e de quem você é.