Atos em repúdio ao feminicídio de bailarina de Maringá serão realizados em todo o país

por Isabella Alonso Panho - Estagiária*
   

Diversas manifestações serão realizadas no país em repúdio ao feminicídio da bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, que foi assassinada no último domingo (26) na cachoeira Massambani, em Mandaguari (região metropolitana de Maringá).

Reprodução/Facebook

A jovem de 25 anos foi encontrada pela própria família. A causa da morte apurada pelo IML (Instituto Médico-Legal) foi estrangulamento, mas o corpo apresentava sinais de violência sexual.

O ato em Maringá, que leva o nome de "Nenhuma a menos", possui mais de 5 mil confirmados e interessados no evento do Facebook e será neste sábado (1º) às 16h. A concentração de manifestantes está marcada para acontecer na praça deputado Renato Celidonio, que fica ao lado do Fórum e da Prefeitura de Maringá.

Até a publicação desta reportagem, havia atos marcados em mais seis cidades. Confira:

Curitiba (PR) - dia 01/02 às 16h, em frente ao Teatro Guaíra

Campo Grande (MS) - dia 01/02 às 16h, na Praça Ary Coelho

Florianópolis (SC) - dia 01/02 às 16h, na Praça XV de Novembro

Belo Horizonte (BH) - dia 08/02 às 15h, na Praça da Estação

Itaparica (BA) - dia 08/02 às 15h, na Associação Cultural de Capuêra Angola Paraguassu

São Paulo (SP) - dia 08/02 ás 15h, na Praça do Ciclista

Nessas cidades, os atos levam o nome de "A vida pede passagem" e repudiam também outros casos de feminicídio registrados no país recentemente.

- Reprodução/Facebook
- Reprodução/Facebook
- Reprodução/Facebook
- Reprodução/Facebook
- Reprodução/Facebook
- Reprodução/Facebook
- Reprodução/Facebook

*Sob supervisão de Larissa Ayumi Sato.