Torcidas rivais se unem em ato a favor da democracia na Avenida Paulista

por Folhapress
   

Rivais no esporte, integrantes de diferentes torcidas organizadas dos quatro grandes clubes de São Paulo (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo) realizam atos pró-democracia na avenida Paulista neste domingo (31).

Rogério Galassi/Futura Press/Folhapress

Uma das principais vias da cidade, a avenida tem sido ponto de encontro de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aos domingos, que pedem o fim do isolamento e protestam contra o STF (Supremo Tribunal Federal) e o Congresso.

A mobilização política de torcedores começou a ganhar força desde o o último dia 9 de maio, quando um grupo de cerca de 40 corintianos, com faixas a favor da democracia se manifestaram em frente ao Masp. A presença da torcida intimidou grupos pró-Bolsonaro, que realizariam um ato ali perto.

Há um temor de confronto com torcedores palmeirenses identificados com o presidente da República. No último domingo (24), eles se reuniram na saída da estação Trianon-MASP do metrô e tiraram uma foto postada nas redes sociais com a legenda "Deus, Pátria, Família e Amigos! Odiamos gambá, estamos esperando vocês", em referência aos torcedores corintianos.

No entanto, o que se vê até o momento na avenida Paulista são protestos pacíficos, com cânticos contra o governo federal. Um grupo de torcedores autodenominados antifascistas do Palmeiras se manifestam próximos aos corintianos, que estão em um grupo muito maior.

Existem torcedores são-paulinos e santistas também no ato a favor da democracia

Bolsonaristas, com suas camisas amarelas, foram vistos nas proximidades. A Polícia Militar criou um cordão humano para isolá-los dos torcedores. Houve discussões entre os grupos, e a Tropa de Choque da PM utilizou bombas de gás para dispersar os mais exaltados. Na ação, um fotógrafo da agência Efe se feriu na perna.

Conteúdo relacionado: