Com agências fechadas, saiba como usar o portal MEU INSS e acessar serviços on-line

por Renata Brandão Canella, advogada
   

O portal do INSS, conhecido como MEU INSS, deve ser utilizado por todo segurado para acesso a informações sobre o tempo de contribuição, obtenção do CNIS, consulta de extratos de benefícios anteriormente requeridos (tanto os concedidos, com a emissão de extratos; como os indeferidos, com datas de requerimentos e os motivos da negativa).

Divulgação

O site também proporciona a possibilidade de agendamentos on-line de perícias médicas, prorrogações, requerimento de aposentadoria por Idade Urbana, Rural e Híbrida, aposentadoria por Tempo de Contribuição (com novas regras pós-reforma), agendamento de benefício ao Deficiente e ao Idoso, acompanhamento do processo administrativo, retirada de carta de concessão ou indeferimento, dentre outros serviços.

Atualmente, com a pandemia da Covid-19, o portal também oferece a possibilidade de realizar perícia on-line, com a juntada dos atestados digitalizados. Após esta etapa, o requerimento será analisado e o segurado receberá a resposta por meio do portal ou via aplicativo de celular (é só baixar o app MEU INSS na AppleStore ou Google Play). Também é possível acompanhar a concessão ou o indeferimento pelo 135. Os segurados que possuem o celular cadastrado no portal podem receber, via mensagem de SMS, informações sobre exigências e concessões.

Siga o passo a passo e acesse o MEU INSS:

1 - Acesse o site do MEU INSS (https://meu.inss.gov.br);

2 - Clique em "Entrar”, depois em "Login” e "Primeiro acesso”;

3 - Clique em "Cadastre-se” e uma nova página será aberta. Insira todos os dados corretamente e clique em "Próximo”;

4 - Responda as perguntas referentes ao histórico de trabalho e contribuições (isso para garantir que o acesso é feito pelo titular da conta junto ao INSS);

5 - Tenha todos os documentos em mãos, pois se responder algo errado, a senha para atendimento on-line não será validada;

6 - Caso ocorra algum erro e a não validação da senha, o segurado poderá tentar acesso novamente após 24 horas, e assim por diante (a cada 24 horas, uma nova tentativa pode ser feita);

7 - Se houver divergência de dados e o segurado não conseguir emitir uma senha, o atendimento presencial na agência do INSS será obrigatório;

8 - Após validar a senha, o segurado vai retornar ao menu inicial;

9 - Será necessário digitar o CPF e a senha temporária que foi dada pelo atendimento;

11 - Altere a senha digitando o CPF e a nova senha;

12 - Pronto! Com essa senha, o segurado tem acesso aos seus dados junto ao INSS e pode, inclusive, analisar o seu tempo de contribuição (se está correto ou não), acessar extratos, requerer cópia de processo administrativo, carta de concessão, etc. 

Com a aprovação da Reforma da Previdência, em novembro de 2019, várias regras de transição foram criadas e existem diferentes tipos de cálculos de concessão a serem feitos. Por isso, é importante que o segurado procure a ajuda de um profissional especialista na área de Direito Previdenciário para fazer uma simulação prévia antes do requerimento, planejando e traçando a possibilidade da concessão do melhor valor de benefício. Às vezes, vale a pena aguardar alguns dias ou meses para pedir a aposentadoria, juntar documentos essenciais, requerer alguma averbação ou pagamento retroativo juntamente com o protocolo do benefício. Isso, só um profissional poderá analisar. 

Conteúdo relacionado: