Álcool tratado pela UEL vai ser usado em viaturas de 89 municípios da região de Londrina

por Redação Bonde com Agência UEL
   

O departamento de Química da UEL (Universidade Estadual de Londrina) fez o tratamento de 150 litros de álcool 70% que vão ser usados nas viaturas de patrulhamento do 2º Comando Regional de Polícia Militar, que compreende 89 municípios do Paraná. A informação é do tenente Azolini, relações públicas da corporação.

Agência UEL

A entrega do material à Polícia Militar foi realizada nesta terça-feira (24), no começo da tarde, no próprio CCE (Centro de Ciências Exatas), dentro do campus. "Esse álcool será usado por todos os nossos policiais em patrulhamento. Cada viatura desses municípios terá um frasco de 500 ml para assepsia das mãos e para a limpeza da maçaneta, volante e painel das viaturas", explica Azolini.

O tenente afirma que os 89 municípios do 2º comando englobam cinco batalhões da Polícia Militar e três companhias independentes. Conforme Azolini, o frasco que será disponibilizado nas viaturas será para borrifar o álcool. "Assim, vamos poder otimizar o uso do produto", diz o militar.

Durante a entrega do álcool à PM, o vice-reitor da UEL, Décio Sabbatini, disse que a universidade está atendendo várias demandas como essa da Polícia Militar e a do HU (Hospital Universitário) e, com mais insumos, pode atender outras instituições. Segundo ele, a realização do teste para detecção do coronavírus poderia ser descentralizado para o interior do Estado, já que a Universidade tem estrutura (laboratórios) e expertise para a realização dos testes.

CCE - O álcool doado à PM foi tratado pela UEL, no departamento de Química, em trabalho realizado por professores, técnicos e estudantes de diferentes níveis de ensino. O chefe do Departamento de Química do CCE, o professor Mário Henrique Killner, explica que o álcool vem da indústria em uma forma agressiva e que pode ser prejudicial para as mãos. Esse produto foi doado à Polícia Militar pela Usina de Álcool Alto Alegre, unidade de Florestópolis.

"Realizamos o tratamento desse álcool para que o produto fique adequado para o uso humano", explica Killner. O diretor do CCE, Silvano Cesar da Costa, avalia como positiva a parceria entre a Universidade e Polícia Militar, para o tratamento do álcool. "Estamos contribuindo para a sociedade neste momento de pandemia", informa.

Segundo Costa, a Polícia Militar está na linha de frente e, por isso, os PMs, que são servidores públicos, acabam expostos, neste caso, aos riscos do coronavírus, que transmite a Covid-19. "Nossa avaliação é positiva. A universidade está cumprindo o seu papel, que é extremamente positivo. Essa é nossa contribuição à sociedade", ressalta o professor.

Batalhões e companhias

O 2° Comando Regional de Polícia Militar compreende o 2º Batalhão de Polícia Militar, em Jacarezinho; o 5º BPM, em Londrina; o 10º BPM, em Apucarana; o 15º BPM, em Rolândia e o 18º Batalhão de Polícia Militar, em Cornélio Procópio. O comando também reúne a 4ª Companhia Independente de Polícia Militar, em Londrina; a 6ª Companhia em Ivaiporã e a 7ª Companhia em Arapongas.

Conteúdo relacionado: