Avião que transportou vacinas a Londrina quase colide com Boeing da Gol

por Guilherme Marconi - Grupo Folha
   
Reprodução/ Folha de Londrina

A Casa Militar do Governo do Paraná confirmou nesta quarta-feira (20) o incidente que quase mudou completamente a marcante chegada das primeiras doses da vacina Coronavac ao Aeroporto de Londrina no final da manhã desta terça-feira (19). Isso porque o monomotor Cessna Grand-Caranava que partiu do Aeroporto Bachari quase colidiu com uma Boeing 737 da Gol que pousava no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo o governo, uma falha no piloto automático fez com que o aeronave que transportava as vacinas fizesse uma manobra de curva errada à direita. Em um áudio da frequência de Controle Aéreo obtido pelo portal Aeroin, a controladora instruiu o jato da GOL a abandonar a aproximação para o Afonso Pena, para não colidir com o Cessna C208 Caravan. Ainda segundo o portal, só é dado o aviso quando o jato está a 3 milhas náuticas (5,5km) de distância da outra aeronave ou a 25 segundos ou menos do impacto. Ou seja, o incidente só foi evitado devido aos comandos da torre de controle que orientou os pilotos a mudarem de rota.

Leia mais na Folha de Londrina

Conteúdo relacionado: