Distanciamento social se torna prova de amor às mães do grupo de risco

por Vitor Struck - Grupo Folha
   

Para a aposentada Sônia de Souza Portes, 50, o "presente” de Dias das Mães chegará neste sábado (9) e será trazido pela filha mais velha pela terceira vez. A neta Manuela será recebida por um mundo em um momento "complicado”, mas se depender da avó que também é mãe de outros dois meninos, não faltará amor e carinho para o desenvolvimento de uma nova vida. "Nesse momento bem difícil que eu queria estar lá com ela, mas não vou poder estar, mas estou ansiosa, não vejo a hora de ver aquela carinha dela”, alegrou-se ao lado do filho, Pedro Lucas, 17.

Gustavo Carneiro/Grupo Folha

Neste domingo (10) de Dia das Mães, muitas pessoas relataram que devem continuar praticando o isolamento social e, por isso, a data será um pouco mais "solitária” em comparação com os anos anteriores. Telefonemas e chamadas de vídeo são algumas opções para amenizar a saudade entre mães e filhos(as). Porém, enquanto a tecnologia não conseguir "emular” o toque, o perfume inconfundível e o cheiro da comida pronta na mesa, não há como não dizer que o Dia das Mães deste ano será um pouco mais difícil para muitas pessoas, especialmente as mães que têm mais de 80 anos ou alguma comorbidade.

Continue lendo sobre o Dia das Mães em plena pandemia na Folha de Londrina.

Conteúdo relacionado: