Escolas particulares entram na justiça contra a suspensão das aulas presenciais em Londrina

por Rafael Machado/Grupo Folha
   
Pixabay

O Sinepe (Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Norte do Paraná) vai entrar nesta semana com sete ações judiciais contra a Prefeitura de Londrina para pedir o retorno das aulas presenciais. O decreto que determina a suspensão vence no próximo domingo (28), mas o prefeito Marcelo Belinati (PP) indicou que não deve mudar de ideia. Durante a tradicional transmissão ao vivo pelas redes sociais, ele declarou que "vai voltar quando puder voltar. Não vou colocar em risco as crianças, os professores e seus familiares. Não farei isso", disse.

De acordo com o presidente do Sinepe, Alderi Luiz Ferraresi, uma das ações será coletiva e ingressada em nome do sindicato. O restante será protocolado por grupos que representam cada um 10 instituições de ensino. Os questionamentos devem ser analisados pelos juízes da Vara da Fazenda Pública. No final do ano passado, o órgão obteve uma liminar autorizando a volta das aulas, mas a decisão foi revista depois pelo Tribunal de Justiça.

Leia mais na Folha de Londrina.

Conteúdo relacionado: