Gaeco pede à Justiça que vereadores de Londrina percam mandato

por Rafael Machado - Grupo Folha
   
Arquivo Folha

O Ministério Público de Londrina, por meio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), pediu ao juiz da 2ª Vara Criminal, Delcio Miranda da Rocha, a condenação dos 13 réus da Operação ZR-3, deflagrada em janeiro de 2018 contra um possível grupo criminoso que agia para obter vantagens na aprovação da mudança de projetos de zoneamento na Câmara Municipal. Entre os acusados, estão os vereadores Rony Alves (PTB) e Mário Takahashi (PV), que na época era presidente do Legislativo.

Relembre o caso: Gaeco deflagra operação contra vereadores de Londrina

A solicitação foi encaminhada em julho deste ano, mas, passados quase dois meses, o magistrado não tomou nenhuma decisão. Ele aguarda a manifestação dos advogados de defesa. No documento, que tem mais de 500 páginas, o MP pede em separado a perda dos mandatos de Alves e Takahashi, além de Evandir Duarte de Aquino, que era chefe de gabinete do petebista na Câmara, e Ossamu Kaminakagura, ex-servidor da Secretaria Municipal de Obras.

Os promotores querem ainda que Cleuber Brito, ex-secretário do Ambiente na gestão de Alexandre Kireeff, Ignes Dequech, ex-presidente do Ippul (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina) e Luiz Guilherme Christino Alho da Silva, ex-integrante do CMC (Conselho Municipal da Cidade), sejam impedidos por oito anos de exercerem cargos públicos.

Saiba mais detalhes sobre o pedido do MP na Folha de Londrina.

Conteúdo relacionado: