Prefeitura divulga resultado dos 5 anos da Patrulha Maria da Penha em Londrina

por Redação Bonde com N.Com
   
Divulgação/N.com

Desde o dia 6 de julho de 2015 a cidade de Londrina conta com o serviço da Patrulha Maria da Penha, executado pelas equipes da Guarda Municipal de Londrina. O serviço funciona com um convênio, instituído através da parceria entre o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar - CEVID, e a Prefeitura de Londrina, através da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres.

A Patrulha é um instrumento do poder público para garantir que não haja violação de direitos fundamentais. O principal objetivo é reduzir a reincidência de agressões e garantir a proteção daquelas mulheres que possuem medidas protetivas de urgência expedidas pelo Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, com base na Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006).

Números

De acordo com Setor de Estatística da GM (Guarda Municipal) de Londrina, desde o início do convênio, em 2015, já foram registrados 1.872 atendimentos, sendo 1.229 relacionados ao descumprimento das medidas protetivas de urgência e 643 em situações de flagrante de violência quando a mulher não possuía medida.

Veja também: BO de violência doméstica agora pode ser feito pela internet

Essa mesma estatística revelou que nesse período já foram expedidas 7.383 medidas protetivas para mulheres que sofreram algum tipo de violência. Dessas, 3.395 já foram revogadas e 3.988 permanecem ativas. A planilha com as informações é atualizada e alimentada pelo Judiciário. O documento é enviado para a central de comunicação da guarda que faz a checagem das informações quando há solicitação de emergência. Isso ajuda a despachar a viatura que estiver mais próxima da residência da mulher.

Atualmente, todos os guardas municipais são capacitados para realizar o atendimento desse tipo de emergência. Eles se distribuem durante os turnos de trabalho em motocicletas e viaturas e atendem toda extensão da cidade de Londrina, inclusive na zona rural. Os guardas são treinados constantemente e passam por qualificação e aperfeiçoamento anualmente a fim de aprimorarem os conhecimentos e melhor atender a população.

De acordo com o secretário municipal de Defesa Social e coordenador da operacionalização do trabalho em Londrina, Pedro Ramos, o documento para continuidade efetiva do serviço está em processo de renovação. "A Patrulha Maria da Penha tem sido um relevante serviço prestado pela Guarda Municipal à mulher londrinense. Essa atividade é fruto de um convênio entre o município e o Tribunal de Justiça do Paraná. Esse trabalho foi desenvolvido por cinco anos e agora nós estamos no aguardo da renovação do convênio. Nós entendemos como é importante esse trabalho na preservação da integridade física e psicológica da mulher que sofre violência. Por essa razão, incentivamos e provocamos a renovação do convênio. Estamos aguardando o tribunal”, informou.

Ainda de acordo com secretário, foram colocadas as mesmas premissas do primeiro convênio no pedido de renovação. "Pedimos a cessão de duas novas viaturas para ajudar a compor o parque de viaturas do Município, e inclusive as questões burocráticas de acesso à lista de medidas protetivas expedidas pela justiça. Como essa lista é dinâmica, é importante que tenhamos esse acesso on-line e possamos consultar para facilitar o encaminhamento da viatura e passar o máximo de informações para o guarda que vai atender a emergência, porque nessa medida consta o histórico do agressor. Não paramos de atender aos chamados, porém estamos aguardando a renovação do convênio pelo TJ para que possamos dar continuidade efetiva ao convênio com garantias legais para os próprios guardas que estão fazendo atendimento”, explicou.

Conteúdo relacionado: