'Celibato é um dom, mas não um limite', diz papa Francisco

por Ansa Brasil
   

Após a polêmica sobre o posicionamento de Bento XVI a respeito do celibato na Igreja Católica, um livro que está para ser lançado na Itália traz uma declaração do papa Francisco sobre o assunto.

Chamado "San Giovanni Paolo Magno" ("São João Paulo Magno"), o volume é uma espécie de livro-entrevista do líder católico com o teólogo italiano Luigi Maria Epicoco.

Segundo uma antecipação publicada pelo jornal "La Stampa", Francisco diz na obra estar convencido de que o "celibato é um dom, uma graça decisiva que caracteriza a Igreja Católica latina", mas "não um limite".

A declaração chega enquanto os católicos aguardam a exortação apostólica do Papa sobre o Sínodo da Amazônia, que recomendou a ordenação de homens casados - preferivelmente indígenas - para administrar os sacramentos na floresta.

Em janeiro passado, o cardeal conservador Robert Sarah, prefeito da Congregação para o Culto Divino, publicou um livro que traz um texto no qual Bento XVI afirma que o celibato é "indispensável" para a Igreja.

Joseph Ratzinger aparecia como coautor do livro, mas, após a repercussão, ele pediu a retirada de sua assinatura. "O papa emérito sabia que o cardeal preparava um livro e tinha enviado um texto seu sobre o sacerdócio, autorizando-o a fazer o uso que quisesse. Mas não tinha aprovado qualquer projeto para um livro com dois autores nem autorizado a capa", afirmou seu secretário pessoal, Georg Gänswein, chamando o episódio de "mal-entendido".

Conteúdo relacionado: