De 'vai desaparecer como mágica' a injeções de desinfetante: Trump na pandemia

por Folhapress
   
Divulgação

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira (2) que ele e sua esposa, Melania Trump, receberam diagnóstico positivo para coronavírus.

Há pouco mais de um mês das eleições presidenciais, a confirmação do diagnóstico se soma aos mais de 7 milhões de casos e 200 mil mortes nos EUA, o país mais atingido pela Covid-19.

Desde o início da pandemia, Trump foi um dos líderes mundiais que mais contrariou evidências científicas e minimizou a gravidade do coronavírus.

O republicano chegou a sugerir cloroquina como método de prevenção e injeções de desinfetante como tratamento, embora sem nenhum respaldo em tudo o que os cientistas já sabem sobre a Covid-19 até agora.

Veja abaixo algumas das principais declarações de Trump ao longo da pandemia de coronavírus:

22 de janeiro: "É uma pessoa vinda da China. Temos tudo sob controle. Vai ficar tudo bem", disse Trump após confirmação do primeiro caso de Covid-19 nos EUA.

7 de fevereiro: "É algo muito mais mortal do que uma gripe forte", disse o presidente ao jornalista Bob Woodward, em conversa privada divulgada em setembro.

27 de fevereiro: "Vai desaparecer. Um dia, como um milagre, [o coronavírus] vai desaparecer."

6 de março: "As pessoas estão surpresas que eu entenda dessas coisas", disse Trump sobre seus conhecimentos sobre o coronavírus. "Cada um desses médicos disse: 'Como você sabe tanto sobre isso?' Talvez eu tenha uma habilidade natural. Talvez eu devesse ter feito isso em vez de concorrer à Presidência.

23 de março: "Não podemos deixar que a cura seja pior do que o próprio problema", disse Trump sobre a decisão de fechar empresas para impedir a propagação do vírus.

7 de abril: "Você não vai morrer por causa desse remédio. Eu realmente acho que é uma coisa ótima de se tentar", disse o presidente sobre a hidroxicloroquina, medicamento usado no tratamento da malária e sem eficácia comprovada contra o coronavírus.

24 de abril: Trump contraria medicina e sugere injeções de desinfetante como tratamento para Covid-19. "O desinfetante derruba o coronavírus em um minuto. Pode existir uma maneira de fazer algo desse tipo por dentro, com uma injeção, ou quase como uma limpeza."

18 de maio: Trump diz que está tomando hidroxicloroquina, medicamento sem eficácia comprovada contra o coronavírus, como forma de prevenção.

2 de outubro: Trump anuncia, no Twitter, que ele e sua esposa, Melania Trump, receberam diagnóstico positivo para Covid-19. "Vamos começar nossa quarentena e nosso processo de recuperação imediatamente. Nós vamos superar isso JUNTOS!"

Conteúdo relacionado: