Superlua brilha nesta terça-feira; entenda o fenômeno

por Redação Bonde
   

Você deve ter ouvido por aí que a noite desta terça-feira (7) seria iluminada pela Superlua Rosa. No entanto, de acordo com Miguel Fernandes Moreno, coordenador do Gedal (Grupo de Estudo e Divulgação de Astronomia de Londrina), não é bem isso que acontece. Para ele, é ainda uma bela Lua Cheia cinza prateada. "Hoje [terça], 7 de abril de 2020, temos uma Lua Cheia. Até aí nada de mais, não é mesmo? Mas hoje há uma peculiaridade. A Lua estará um pouquinho mais próxima de nós", apresenta Moreno.

Pixabay

Segundo o coordenador do Gedal, a órbita que a Lua faz ao redor da Terra é ligeiramente achatada, ou seja, não é um círculo perfeito. "Com isso, nosso satélite pode ficar mais perto ou mais longe, dependendo da data. Para termos ideia, a distância média da Lua à Terra é de 384.000 quilômetros (mais de 90 vezes a distância do Oiapoque ao Chuí, os limites norte e sul do Brasil, respectivamente). Mas, quanto ela está no ponto mais distante de sua órbita, ou seja, o ponto em que está mais longe da Terra (e que chamamos de apogeu), ela chega a cerca de 405.000 quilômetros", explica.

No entanto, esta terça-feira será o contrário disso. "A Lua estará no trecho mais próximo da Terra, conhecido como perigeu, a cerca de 360.000 quilômetros. Quando isso ocorre, ou seja, quando a Lua Cheia coincide com o perigeu, podemos chamar de 'Superlua'.

Esse pequena variação faz com que a Lua surja no céu ligeiramente maior e mais brilhante", ensina. Para Miguel, se você não soubesse que hoje seria uma Lua Cheia em perigeu, provavelmente, nem notaria a diferença.

Veja a imagem (lado esquerdo é perigeu e lado direito, apogeu):

Reprodução/Gedal

LUA ROSA?

Miguel Fernandes conta que começaram a chamar essa Lua Cheia de Lua Rosa porque seria uma lembrança da floração no Hemisfério Norte. "Esqueçam isso", ressalta. "A Lua estará lá no céu linda como sempre. E cinza e prateada como sempre", pontua.

Conteúdo relacionado: