Polícia procura pichadores de restaurante árabe em Londrina

por Rafael Machado - Grupo Folha
   
Isaac Fontana/Framephoto/Folhapress

A Polícia Civil instaurou uma investigação para descobrir quem vandalizou o restaurante Ghada, localizado na rua Maranhão, centro de Londrina, alvo de uma polêmica nacional no início deste mês, quando o proprietário jogou água em um morador de rua para espantá-lo da porta do estabelecimento. Um vídeo que flagrou o ato viralizou nas redes sociais e gerou protestos na frente do comércio.

Relembre o caso: Revolta nas redes sociais acaba com vidraças de restaurante quebradas em Londrina

Leia no Bonde: Vídeo de empresário jogando água para expulsar morador de rua gera indignação nas redes

Após esse episódio, algumas pessoas picharam a parede e quebraram os vidros do Ghada. Segundo o delegado Mozart Rocha Gonçalves, que cuida do caso, o empresário e sua esposa receberam até ameaças de morte. Ele registrou um BO, o que motivou o início da apuração policial.

"Quem praticou esse vandalismo pode responder por pichação, que tem pena de três meses a um ano segundo a Lei de Crimes Ambientais, além de dano e ameaça", disse Gonçalves. No BO, o comerciante menciona que imagens de câmeras de segurança mostram pelo menos três pessoas pichando o restaurante, entre elas uma mulher. "Ele ficou de trazer as gravações, que serão importantes para a identificação dos responsáveis", esclareceu.

Saiba o que disse o dono do Ghada lendo a matéria completa na Folha de Londrina.

Conteúdo relacionado: