Taxa de assalto de celulares no Paraná cai no primeiro semestre

por AEN-PR
   
SESP

O número assaltos para subtração de celulares caiu 23% em todo o Paraná de janeiro a junho deste ano, em comparação com o mesmo período do ano anterior. No primeiro semestre de 2020 foram 18.302 situações envolvendo estes delitos e, no mesmo período do ano anterior, foram 23.770.

De acordo com o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, a queda se deve à atuação das forças policiais no patrulhamento preventivo e ostensivo, além do período de isolamento social.

"Atuamos constantemente em todo o Estado com policiamento ostensivo nas ruas e fortes investigações”, disse o secretário. "A preocupação é tentar fornecer maior segurança aos cidadãos”, afirmou Marinho, que atribui a diminuição nos índices, também, ao trabalho das polícias.

Durante os seis primeiros meses deste ano, foram registradas 10.758 situações de furto de celulares em todo o Paraná. O número é 14,5% menor que as 12.594 registradas durante os seis primeiros meses de 2019.

Nos casos de subtração de celulares envolvendo ameaças graves ou agressões, a queda foi ainda mais expressiva: 32,5% (11.176 situações registradas de janeiro a junho de 2019, contra as 7.544 no mesmo intervalo de tempo deste ano).

O secretário ainda ressalta que o trabalho de combate ao crime contra o patrimônio pessoal é ininterrupto e lembra que a população deve prestar queixa às autoridades policiais sempre que passar por uma situação dessa. "Somente com o registro desses acontecimentos em mãos é que nosso setor de análise e inteligência conseguirá apontar os locais que precisamos reforçar o policiamento e, assim, reduzir os índices”, ressaltou.

Segundo ele, tem de se levar em consideração também o período de combate ao coronavírus, que provocou um maior isolamento social: com menos pessoas nas ruas, menos crimes contra o patrimônio.

ANOS ANTERIORES

A tendência de queda também é perceptível quando comparado com os mesmos períodos dos anos anteriores. De janeiro a junho de 2018, por exemplo, foram 13.920 registros de furtos de celulares. No mesmo período de 2017, foram 15.739. Quando comparados estes períodos com os seis primeiros meses de 2020, as quedas são de 22,7% e 31,6%, respectivamente.

Em análise com os dados dos três anos anteriores, o ano de 2020 foi o que teve menor número de registros de assaltos para subtrair celulares. "Trabalhamos de forma intensa, tentando sempre fornecer uma sensação de segurança para todos os paranaenses. Agindo constantemente no combate ao crime organizado, conseguimos reduzir essas situações e melhorar a segurança dos moradores do Paraná”, afirmou o secretário.

Conteúdo relacionado: