Confira quatro orientações para não errar com o óleo lubrificante da moto

por Redação Bonde
   

O óleo lubrificante da moto é o responsável por diminuir o desgaste das peças e auxiliar na refrigeração do motor, ele cria uma camada que ameniza o contato das engrenagens, pistões, anéis e mancais. Ou seja, o óleo lubrificante é essencial para manter a "saúde" do motor da moto.

Pixabay

Normalmente nos Manuais do Proprietário existe um capítulo apenas para explicar os cuidados com o óleo lubrificante, porém muitos proprietários não se importam e acabam se deparando com problemas que poderiam ter sido evitados. Confira algumas dicas para evitar surpresas desagradáveis.

Qual óleo utilizar?

O fabricante indica especificações sobre o lubrificante da sua moto. São essas instruções que determinam a viscosidade e outras características do produto que são adequadas às necessidades do motor. A Honda CG 160, por exemplo, usa produto com especificação 10W-30. O indicado é não misturar marcas e produtos com especificações diferentes e NUNCA utilizar óleo de automóveis em motocicletas.

De olho no nível

Antes de dizer o nível certo do óleo você precisa saber como verificar: a moto deve estar na vertical e com o motor aquecido. Limpe a vareta medidora e encaixe no bocal (sem rosquear). O nível do óleo deve estar entre as duas marcas. Ao completar o lubrificante é importante não ultrapassar o limite máximo, pois o excesso de óleo também prejudica o bom funcionamento do motor.

Quando trocar?

O período da troca depende da marca e do modelo da moto, pode ser obrigatória a cada 3.000 km ou até 10.000 km rodados. Porém, mesmo que você não tenha rodado essa quantia de km, fique atento, pois óleo também tem data de validade, que costuma ser de seis meses. As informações sobre os intervalos de troca de óleo estão no Manual do Proprietário, não deixe de consultar. Vale ressaltar que ao completar o óleo o produto deve ser da mesma marca e ter as mesmas especificações.

[left]Filtro[/left]

Além de acompanhar o nível e o prazo de troca do lubrificante, é fundamental manter os filtros limpos ou substituí-los no prazo informado pelo fabricante. No caso da CG 160, o filtro é do tipo centrifugo que deve ser limpo a cada 12.000 km. Já as motos que usam filtros de óleo, como a Yamaha Fazer 250, a troca do filtro deve ser feita a cada 10.000 km.

Com Informações do Blog InfoMoto