Nova Chevrolet S10 chega ao mercado conectada com o futuro

por Folhapress
   
Divulgação / Chevrolet

A Chevrolet apresentou nesta semana a S10 2021. Apesar de não trazer uma nova geração, o modelo da montadora ganhou atualizações no design e mais conteúdo para enfrentar a dura concorrência no segmento de picapes médias.

A conectividade é uma das maiores vantagens da S10 sobre a concorrência. Embora todas ofereçam centrais multimídia, só a picape da Chevrolet tem o serviço de assistência e telemática OnStar. Outra importante vantagem é a internet 4G com conexão por meio do wi-fi para até sete dispositivos, a exemplo do que acontece nos modelos mais recentes da marca, como Onix e Tracker.

Segundo a montadora, o sinal até 12 vezes mais estável que o de um smartphone é capaz de se manter mais tempo conectada à rede 4G em função da antena que amplifica o sinal.

"O picapeiro costuma rodar muito pelo interior. Sabemos que o Brasil é um país continental e que a cobertura de sinal de internet não é uniforme, por isso o Wi-Fi da Nova S10, com tudo o que ele agrega, ganha uma importância enorme neste contexto", diz Rodrigo Fioco, diretor de Marketing de produto GM América do Sul.

Divulgação / Chevrolet

No design, a leve reestilização frontal deu mais fôlego à S10 em um segmento que não vê produtos 100% novos desde 2017, quando a Nissan trouxe a nova geração da Frontier. A picape ganhou visual bem parecido como da Silverado, especialmente na versão High Country, que ostenta uma grade frontal com uma barra horizontal na cor preta e o nome Chevrolet em baixo relevo.

Pela primeira vez o emblema da marca, a "gravata", aparece deslocado do centro, localizada agora mais embaixo, à esquerda.

Motor não tem grandes mudanças

A GM não realizou mudanças nas motorizações da S10 2021. Assim, permanece em linha o 2.5 flex, que é o mais potente da categoria: são 206 cv / 197 cv e 27,3 kgfm/ 26,3 kgfm de torque máximo, com câmbio manual ou automático de 6 marchas e tração 4x2 e 4x4.

O motor 2.8 turbodiesel de 200 cv e 51 kgfm de torque máximo também segue disponível, mas ganhou uma nova turbina para diminuir o efeito de turbo lag. A novidade é a volta da 2.8 turbodiesel com câmbio manual na versão LS 4x4.

Divulgação / Chevrolet

Agora todas as versões da S10 saem de fábrica com 6 airbags, assim como já ocorria com a Frontier. Hilux, L200 e Ranger já tinham sete bolsas infláveis, sendo que na picape da Ford isso ocorre a partir da versão XLS. E a Amarok é a única que sai de fábrica apenas como airbag duplo frontal obrigatório por lei na versão de entrada SE.

A partir da versão LTZ, a picape da GM oferece frenagem autônoma de emergência, detecção de pedestres e alerta de permanência em faixa. Apenas a concorrente Ford Ranger traz os mesmos itens.

O problema é que a S10 ainda fica em desvantagem por não ter uma motorização mais potente. Toyota Hilux e VW Amarok, por exemplo, possuem versões V6 com 234 cv e 225 cv, respectivamente.

Os preços da S10 2021 variam de R$ 125.390 (Advantage 2.5 flex) a R$ 213.290 (High Country 2.8 diesel). Ela é mais barata do que todas as concorrentes, incluindo Hilux (que varia de R$ 132.140 a R$ 217.390) e Ranger (cuja faixa de preço orbita entre R$ 140.690 e R$ 215.590).

Conteúdo relacionado: