Volkswagen Gol completa 40 anos de sucesso

por Eduardo Sodré - Folhapress
   

A fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo) expõe um painel gigante em sua fachada. Quem passa pela rodovia Anchieta vê a traseira de um Gol em destaque, sinal de mantém o prestígio após 40 anos de mercado e 8,5 milhões de unidades produzidas.

Divulgação / Volkswagen

O hatch compacto estreou em maio de 1980 com motor 1.3 a gasolina (42 cv) refrigerado a ar. Não demorou para ser substituído: faltava força e sobrava vibração. Após o começo claudicante, a VW acertou o carro e, ao longo dessas quatro décadas, liderou as vendas por quase 30 anos e lançou clássicos da indústria automotiva nacional.

Divulgação / Volkswagen

A linha atual não comporta sonhos de consumo como as antigas versões GT, mas, enfim, oferece câmbio automático de verdade. A caixa de seis marchas estreou no segundo semestre de 2018 e deu nova vida ao Gol. A opção que dispensa o pedal de embreagem tem motor 1.6 flex com 120 cv, mesma potência do GTI 2.0 de 1989.

Apesar da proximidade dos números, o Gol mais caro dos dias de hoje não tem a mística do topo de linha de 21 anos atrás. Trata-se de um carro racional, com acabamento simples e bom desempenho. A avaliação começa com uma decepção: o ajuste de altura do banco continua ruim. O motorista aciona uma alavanca e sente o assento se inclinar para trás. É preciso erguer o corpo para encontrar uma boa posição ao volante.

Divulgação / Volkswagen

Passado o primeiro desafio, vem a parte boa: completo, o Gol avaliado tem sistema multimídia que se conecta a smartphones, comandos de som no volante, piloto automático e rodas de liga leve. Todas as janelas trazem acionamento elétrico, bem como os retrovisores e as travas das portas.

O preço começa em R$ 61,4 mil, porém, com todos os itens disponíveis, o valor do Volks chega a R$ 65.870. Não é pouco, mas mantém o modelo competitivo. Com os mesmos itens, o Renault Sandero 1.6 automático é anunciado por R$ 68,4 mil, mas oferece quatro airbags (há apenas dois no Gol), controle eletrônico de estabilidade e ar-condicionado com ajuste automático.

Divulgação / Volkswagen

Após achar a melhor posição possível ao volante, o motorista do Gol descobre que o carro está em sua melhor forma. Bem disposto e bom de curva, o compacto VW mostra que suas qualidades vão além de uma mera compra racional.

O desempenho é equivalente ao do Polo 1.6 automático, que custa entre a R$ 66 mil e R$ 70,7 mil. Embora seja mais caro, é também mais moderno: sua plataforma MQB o coloca no mesmo nível dos Volks vendidos na Alemanha.

Divulgação / Volkswagen

Já o Gol é coisa nossa, nasceu e cresceu no Brasil. Uma nova geração está perto de ser revelada, apesar de a pandemia do novo coronavírus ter modificado cronogramas. O novo cenário deve tornar o compacto da Volks ainda mais importante, pois é provável que projetos locais de menor custo ganhem força. Há outros 40 anos pela frente. (Folha)

Conteúdo relacionado: