Volkswagen quer driblar pandemia e lançar Nivus no primeiro semestre

por Eduardo Sodré - Folhapress
   

A Volkswagen mantém o plano de lançar o Nivus ainda no primeiro semestre, apesar da paralisação das atividades fabris devido à pandemia do novo coronavírus. A montadora segue o cronograma de apresentações, que estão sendo adaptadas para o mundo virtual.

Divulgação / Volkswagen

O carro deve chegar ao mercado em junho, o que pressupõe o retorno à produção em maio com adoção de medidas mais severas de higiene e distanciamento entre os funcionários.

Detalhes do Nivus foram revelados nesta terça (15). As imagens mostram a traseira alongada semelhante à de cupês, embora a VW considere que seu carro seja um SUV.

No passado, esse tipo de carroceria era chamada de "fastback", categoria do antigo Passat nacional. Na tentativa de criar um novo segmento, a montadora classifica o Nivus como um "new urban coupé".

Pretensões à parte, o novo modelo é um dos VW mais interessantes do momento, mérito das equipes nacionais de engenharia e de design da marca. A matriz alemã deveria ouvir mais os brasileiros na hora de desenvolver seus veículos.

Segundo José Luiz Loureiro, gerente executivo de desenvolvimento da Volkswagen, todas as versões do Nivus vendido no Brasil terão motor 1.0 turbo flex (128 cv) casado ao câmbio automático de seis marchas. É o mesmo conjunto usado em diversas opções dos modelos Polo, Virtus e T-Cross, que compartilham a plataforma MQB com o novo modelo.

O lançamento terá uma nova central multimídia, que promete ser a mais moderna disponível entre os modelos compactos. Porém, os itens mais importantes são relacionados à segurança.

O Nivus terá sistemas de frenagem automática e de monitoramento de distância do carro que vai adiante. Se estiver a uma distância que aumente os riscos de acidente caso o veículo à frente reduza o ritmo bruscamente, o motorista do Volks será alertado.

Há também o controlador de cruzeiro adaptativo: ao acionar o piloto automático, o carro passa a seguir o trânsito, reduzindo a velocidade ao trafegar atrás de um automóvel mais lento e retomando a aceleração quando a pista fica livre novamente.

A montadora ainda vai divulgar quais versões serão equipadas com os novos equipamentos de segurança, mas garante que todos as unidades terão faróis e lanternas com LEDs.

Com 4,26 m de comprimento, o Nivus terá porte semelhante ao das extintas peruas compactas, mas com um pouco mais de largura. O porta-malas com 415 litros de capacidade será suficiente para transportar duas malas grandes e algumas mochilas.

A suspensão será mais alta que a do Polo e mais baixa que a do T-Cross, com acerto ligeiramente esportivo.

Além de ser a principal novidade nacional da montadora, o Nivus terá importância global: trata-se do primeiro Volkswagen desenvolvido no Brasil a ser vendido também no mercado europeu.

Loureiro afirma que o projeto foi bem aceito pelos alemães, que já demonstraram apreço pelo design nacional em outras épocas. Nos anos 1970, o cupê SP2 foi elogiado pelos engenheiros da matriz. O mesmo aconteceu com o Pointer, na década de 1990.

Conteúdo relacionado: