Confira 4 passos para não errar na escolha do sofá

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   
Divulgação

O sofá é, indiscutivelmente, a peça-chave de todo living. Especialmente necessário nessa época de pandemia, em que passamos mais tempo em casa, conta com uma infinidade de modelos, tamanhos e formatos, atendendo a diferentes funcionalidades. "A escolha do modelo do sofá deve levar em conta alguns fatores, em especial sua utilidade. Além disso, o tamanho do ambiente é quem determina as medidas das peças”, aponta Gisele Leal, proprietária da Sierra Móveis Gabriel. A boutique de móveis de luxo brasileiros preparou um guia completo para ajudar na escolha correta do estofado.

Local e função

Antes de pensar no modelo e tamanho, Gisele aponta que é necessário determinar o objetivo e aonde o sofá será inserido. "Cada ambiente pede por um sofá diferenciado. A sala de televisão, por exemplo, comporta um sofá mais macio e profundo. Modelos com chaise ou extensíveis são ótimas pedidas”, diz. Já numa sala de estar, em que a prioridade está na convivência e interação, é preciso atenção a outras características. "Nesse caso, o ideal é um estofado mais firme e não tão profundo, com encosto mais reto, facilitando o ato de se sentar e levantar”. Sofás de linhas mais retas têm um design mais clássico e atemporal, já os modelos mais baixos e arredondados deixam o ambiente mais informal. Para escritórios ou recepções, tende-se a apostar em modelos enxutos de linhas retas e cores sóbrias, além de acabamentos mais resistentes ao uso constante. "Nos ambientes corporativos, é importante garantir que todos que utilizam o espaço se sintam confortáveis e que a peça seja de fácil manutenção”, afirma Gisele.

O formato e acabamentos das peças podem variar de acordo com o estilo que está se propondo. "Dependendo do local e da proposta, pode-se trabalhar com modelos inteiros, modulares, com opções de canto e curvos”, opina Gisele.

Tamanho do sofá

Uma vez definida a função, é a hora de entender sobre as medidas do estofado. "O tamanho do sofá depende da amplitude do ambiente”, diz Gisele. Por isso, ela indica sempre ter as medidas do cômodo em mente. "Para garantir boa circulação, é necessário deixar um espaço livre de ao menos 60 cm ao redor do sofá”, explica. Para se ter uma ideia, sofás de dois lugares costumam ter cerca de 160 cm de comprimento; de três lugares, por sua vez, contam com 200 cm em média. A profundidade pode variar de acordo com o gosto e necessidade de cada um.

Outro ponto a se ressaltar são as medidas dos braços e pés do sofá. "Modelos com estruturas que encostam no chão dão uma aparência de solidez, mas também são visualmente mais pesados em comparação com o modelos com pés aparentes, que prolongam o desenho do chão e o ambiente”, explica. Outro ponto importante são os braços. Os modelos mais largos tendem a ser mais confortáveis, mas ocupam mais espaço; braços mais finos, por sua vez, conferem um ar moderno à peça. Há ainda os modelos sem braços, muito usados atualmente.

Gisele ainda relembra: "saber também a largura das portas, elevadores e escadas é uma boa ideia, garantindo que o sofá não precisará ser içado”.

Divulgação

Revestimentos e cores

Muito mais do que a estética, o revestimento do sofá influencia no toque e sensação que se tem ao sentar. "Além de determinar o estilo da peça, também é interessante levar em conta quem usará o sofá, para escolher o melhor tecido”, opina Gisele. Para casa com crianças ou pets, por exemplo, tecidos duráveis como as lonas e suede, de tramas bem fechadas, são os mais indicados. "As cores escuras também são a melhor opção, pois escondem melhor a sujeira e evitam manchas. Outra ideia é apostar em capas removíveis e laváveis para proteger o sofá”, diz.

Muito procurado, o suede é um tecido de toque macio e não arranha. O couro, por sua vez, sempre confere elegância além de ser um dos materiais mais resistentes e de fácil manutenção. Para áreas externas, o ideal são os tecidos tecnológicos, que repelem água.

Quando se fala de cores, por sua vez, uma aposta sem erro são nos tons neutros, seja claro ou escuro. "Uma dica para ambientes com sofá e piso escuro, por exemplo, é apostar em um tapete claro, criando um contraste harmônico que destaca a peça”, aponta Gisele Leal. Além de se mesclarem com todo estilo de decoração, as cores neutras permitem ousadia nos acessórios, como mantas, almofadas e tapetes. "Em alta, tons de verde ou terracota podem ser a escolha perfeita para quem gosta de um toque de ousadia”.

Limpeza e manutenção

Por fim, para garantir uma boa durabilidade do sofá, seguir uma rotina simples de limpeza é essencial. "No dia-a-dia, é possível utilizar um aspirador de pó ou pano levemente umedecido para retirar as partículas de sujeira”, ensina Gisele. Em sofás de tecido, ainda se pode adicionar um pouco de detergente neutro em uma escova de cerdas macias. Para os modelos de couro ou corino, por sua vez, o recomendado é a limpeza com um espanador ou flanela macia, para não riscar. "Nunca utilize produtos químicos ou abrasivos, como cloro, alvejantes e limpadores multiuso”, alerta Gisele.

Conteúdo relacionado: