Banheiro: aprenda a combinar os acabamentos de forma funcional

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   
Divulgação

Apesar de ser um ambiente com menos espaço para itens decorativos, muitas são as decisões que envolvem o projeto do banheiro. Afinal, o ambiente demanda escolha de revestimentos, louças sanitárias, metais e acabamentos a fim de garantir o conforto e bem-estar dos usuários, sem contar na estética aprimorada que o banheiro conquistou nos últimos anos. A arquiteta Karina Korn, a frente do escritório que leva o seu nome, traz dicas para nortear as principais escolhas do ambiente mais relaxante da casa.

O primeiro passo é definir o estilo do ambiente, baseado nos gostos e desejos dos moradores, isso porque os revestimentos e as louças são itens duráveis e que demandam obra para a substituição. "Mais do que descobrir o que você gosta, minha dica é fazer um levantamento do que você não gosta para o ambiente. Nós costumamos curtir muitas opções, mas são poucas as coisas que detestamos e nunca vamos querer na nossa casa”, avalia Karina. É preciso saber qual a necessidade e quantas pessoas vão usar o ambiente, dados que permitem traçar um perfil de usuário e entender o que não pode ficar de fora do projeto.

Uma orientação que não tem erro, principalmente em espaços que atendem muitas pessoas, caso de um banheiro que também funciona como lavabo ou até mesmo um local que precisa acompanhar o crescimento das crianças, é priorizar uma base neutra, com revestimentos e louças claros. "Ouse em objetos decorativos e itens fáceis de substituir, como prateleiras e nichos coloridos, por exemplo”, recomenda a profissional.

A ordem indicada pela arquiteta é: "Primeiro eleja os revestimentos, em seguida, o material da bancada, para depois chegar até as louças e os metais”, enumera. Para o revestimento do banheiro, é importante optar por um modelo que garanta a facilidade da limpeza e a segurança de todos. "Neste caso, grandes peças de porcelanato são fáceis de limpar e eliminam a quantidade de rejunte, capaz de dificultar a manutenção do ambiente”, diz Karina.

Divulgação

O que priorizar nas louças sanitárias

Karina Korn prefere os modelos brancos, deixando para ousar na cor do revestimento nos lavabos, pois num banheiro é possível cansar com o tempo. No caso das bacias sanitárias, existem diferentes modelos no mercado, com sifão aparente ou sistemas carenados - que trazem um design mais clean. "O que vai mandar na escolha é o tamanho do modelo (variam muito as medidas) e a possibilidade do investimento, os modelos mais modernos podem pesar no bolso, por isso, é preciso pesquisar”, diz a arquiteta.

Há diferentes modelos de cubas e, entre as mais comuns, estão as embutidas, de apoio, semi-encaixe e sobrepor. Porém, também é possível encomendar modelos esculpidos de pedra ou porcelanato. Quanto à funcionalidade não existe diferença entre eles. "O que muda é o tipo de instalação, lembrando que para a altura topo da cuba deve estar a 90 cm do piso”, conta Karina Korn.

Divulgação

Metais sem segredos

Quando o assunto é metais e acabamentos, caso de registros e misturadores, é preciso que sejam do mesmo modelo. "O chuveiro não entra nessa escolha, já que deve ser levado em conta a vazão, se é um modelo de teto ou parede, entre outras variantes. A cor, no entanto, deve ser a mesma dos acabamentos”, explica Karina Korn. "Sobre as torneiras, dou sempre preferência as bicas altas que, além de mais charmosas, são mais práticas, facilitando o uso”, completa.

O mesmo serve para toalheiros e papeleiras, que precisam seguir o mesmo design. Para esses itens, existem algumas regras de instalação. "Para ganchos, coloco a 1,5 m, já o toalheiro horizontal instalo a 1,20 m. Porém, é importante reforçar que essas alturas podem ser adequadas aos moradores que utilizarão o ambiente”, explica Karina. Já a papeleira deve ser instalada do lado da mão dominante, enquanto o registro do chuveiro deve ser colocado a 1,20 m do piso.

Conteúdo relacionado: