Como refrescar a casa: cinco dicas para driblar o calorão

por Redação Bonde com assessoria de imprensa
   
Luis Gomes
Projeto da arquiteta Pati Cillo.

Grandes variações de temperatura têm sido cada vez mais comuns, principalmente por conta das altas de calor históricas registradas no Brasil nesse início de primavera. Mesmo sem a chegada ‘oficial’ do verão, o calor tem elevado a sensação térmica, o que deixa alguns ambientes da casa ainda mais quentes. Mas como melhorar esse panorama?

As arquitetas, Carina Dal Fabbro, à frente do escritório que leva seu nome, Pati Cillo, com seu escritório homônimo, e Júlia Guadix, da Liv’n Arquitetura, dão dicas para driblar o clima quente e alcançar o tão sonhado bem-estar em casa durante este período. Confira o passo a passo elencado por elas:

Guilherme Pucci
Dormitório assinado por Júlia Guadix, ela balanceia o azul mais intenso com o enxoval que evidencia nuances mais claros de cinza.

Cores claras

As cores exercem muita influência na sensação de um ambiente. Dessa forma, os tons claros são os mais indicados para a obtenção de cômodos mais refrescantes. Quem quiser deixar a casa com um gradiente mais ameno deve realizar a substituição de itens mais escuros, geralmente presentes em almofadas, tapetes e cortinas, por exemplo.

Para Júlia Guadix, vale apostar em estampas ou em tecidos neutros leves e naturais como cetim ou algodão, que permitem mais respiro no local. "Para quem tem sofá de couro ou mais escuro, é possível cobri-lo com xale ou uma manta mais leve, como aquelas produzidas artesanalmente, para criar uma atmosfera fresquinha no ambiente”, sugere a arquiteta.

Entre as cores sugeridas, a arquiteta Carina Dal Fabbro tem notado que o coral e o rose seguem como grandes opções em ambientes. "É uma tendência, mas não existe regra. Todos os tons claros trazem a sensação de frescor e cabe ao morador escolher conforme seu gosto”, indica a profissional.

Luis Gomes
Realizada em uma paleta de tons claros, a sala de jantar da arquiteta Pati Cillo recebeu um ar-condicionado para amenizar a temperatura

Ventilação

É primordial, em dias quentes, manter a casa ventilada. Segundo a arquiteta Pati Cillo, o ar-condicionado é cada vez mais pedido em novos projetos residenciais, principalmente nos quartos e em áreas sociais. No entanto, quem não tem eletrodoméstico deve investir no bom e velho ventilador. Para um uso otimizado e eficaz, a recomendação de Patti é posicioná-lo em diversas áreas de casa e, se possível, em locais como de costas para a janela. "Além do ventilador que podemos levar de um lado para o outro, podemos considerar também a instalação de ventiladores de teto em cômodos como sala de estar e dormitórios, além dos umidificadores, que colaboram na diminuição do calor, propiciando conforto térmico”, detalha.

Entretanto, no caso do umidificador, uma ressalva valiosa para a saúde: se ligado por muito tempo, pode provocar o aparecimento de mofo ou bolor nos ambientes, além de não ser benéfico para a saúde. "Todos os recursos são positivos, mas o melhor mesmo é quando podemos contar com a ventilação natural. Janelas e amplos vãos de porta idealizados durante o projeto arquitetônico contribuem para uma casa bem arejada e saudável, relaciona Pati.

Guilherme Pucci
Na varanda, Júlia Guadix reuniu espécies de plantas, incluindo temperinhos, pensando em dispor dias de calor mais ameno.

Plantas

Junto com a decoração, as plantas contribuem para o frescor e o clima de bem-estar. Mas, Júlia Guadix traz uma ressalva: não basta ter apenas um vasinho aqui ou acolá. "O valioso é ter uma combinação de espécies, sempre lembrando que, quanto maior o tamanho da folha, mais a plantinha respirará, nos dando como resultado um ambiente mais úmido e agradável. Uma sugestão também é escolher uma parede para um jardim vertical”, avalia.

Mas, e as espécies? As mais indicadas para os ambientes internos são Jiboia, Avenca, Begonia, Samambaia, Costela de Adão e Filodendros, entre outras, que apresentam uma fácil adaptação em casa. Essas espécies se adaptam facilmente desde recebam ventilação, luz natural e sejam regadas conforme as características particulares de cada uma.

Iluminação

Para a arquiteta Carina Dal Fabbro, a iluminação mais próxima do natural (3.000 kelvin) é a luz branca quente. Além dela, também é possível apostar em luzes incandescentes ou pendentes. Essa opção, além de trazer um clima diferente para a área, colabora para economizar energia e deixa a casa com uma atmosfera mais gostosa.

Bruno Cardi
No ambiente, Carina Dal Fabbro escolheu uma deliciosa poltrona produzida com fibra para os momentos de leitura

Decoração ao seu favor

A decoração é outro aliado que faz a diferença. Expor objetos produzidos com materiais naturais como palhinha, fibras e terracota são muito indicados. Vale abusar da criatividade!

Conteúdo relacionado: