Sofá: fique por dentro das diferenças de cada modelo

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

Móvel protagonista da casa e, muito disputado pela família, especialmente nesse momento de isolamento social, o sofá vem ganhando cada vez mais novas roupagens, seguindo, principalmente, as tendências de decoração e arquitetura. A marca Paschoal Ambrosio acompanhou as mudanças no mobiliário e, junto com a arquiteta Carina Korman, orienta sobre os modelos de sofás disponíveis no mercado e as diferenças entre eles.

Divulgação

Por onde começar

A escolha deve ser feita de acordo a predileção dos moradores e a necessidade do ambiente. "Há infinitas possibilidades, desde modelos com ou sem braço até aqueles que incluem chaise longue, escolha perfeita para relaxar na hora de assistir TV”, explica Carina Korman. "Também é possível encomendar o tamanho, conforme as medidas da sala, e selecionar o revestimento, entre lonas, linhos, sedas e tecidos, priorizando o dia a dia da família”, continua Carina.

Antes de escolher o modelo certo, é preciso seguir algumas recomendações. "O tamanho da sala dita o do sofá. É importante que haja, no mínimo, 70 cm de espaço para circulação em torno do móvel. Caso o ambiente seja pequeno e possa receber apenas uma peça de dois lugares, a sugestão é apostar em pufes como mesa de centro, por exemplo”, comenta a arquiteta Carina Korman.

Divulgação

Um modelo que está super em alta é o curvo. Direto dos anos de 1950, o design fora do convencional traz um clima retrô e é perfeito para salas de estar e livings. Os sofás curvos otimizam a circulação em espaços reduzidos, ampliando a sensação de fluidez.

Além disso, o design arredondado aproxima quem está sentado na hora de bater papo, por exemplo. Porém, não é um modelo confortável para salas de TV, pois não é possível se esparramar e assistir um bom filme. Na hora de escolher o restante do mobiliário do ambiente é interessante apostar no formato curvo para os demais itens, como um tapete arredondado, assim como mesas de centro, poltrona e luminárias com a mesma linguagem.

Sofá com chaise longue

Nessa opção, um dos assentos pode ser puxado e prolongado, permitindo ao morador sentar com as pernas esticadas, garantindo maior conforto. E, por isso, é o modelo perfeito para home theater e salas com TV. Antes de se decidir por um modelo assim, é preciso avaliar a metragem do ambiente. Deve-se ter ao menos 60 cm de circulação, levando em conta o final do sofá e o início do móvel ou parede que fica em frente. Fique atento para que a chaise longue não bloqueie a passagem para outros ambientes, como uma varanda.

"Se for um móvel destinado ao home theater, o ideal é apostar em um encosto mais alto, com uma profundidade mínima de 1 m, pois seu uso será mais descontraído. No caso da sala de estar, espaço para receber, recomendamos uma profundidade menor e uma boa altura de assento, mais fácil para se levantar. Além disso, vale usar uma espuma de maior densidade com o intuito de não afundar”, afirma Camila Ambrosio, diretora e sócia da terceira geração da Paschoal Ambrosio.

Sofá minimalista

Com o encosto mais baixo e uma linguagem muita próxima a dos modelos italianos, esse estofado também é muito adotado em ambientes como salas de estar ou livings. O modelo tem uma estética bem refinada, por isso, aparece com mais frequência em espaços projetados para receber visitas. Apesar de bonito, não é confortável para salas de TV, pois não tem apoio total para as costas.

Sofá com capitonê

Divulgação

Típico da era Vitoriana, o Chesterfield revela a técnica de estofamento botonê, que traz os pontos marcados por botões. Eles são costurados formando pregas profundas, gerando franzidos no tecido. Os braços largos e arredondados também são marcantes nesse estilo de sofá. Por apresentar um visual mais elaborado, costuma ser usado em ambientes de estar, para surpreender as visitas - o que pode ser desconfortável para salas de TV, que exigem um conforto maior.

Sofá-ilha

Novo queridinho no décor, o sofá-ilha é um modelo de estofado com mais de um lado. É superindicado para ambientes integrados, pois permite setorizar dois ambientes, sendo que o mais comum é voltar um lado para a sala de TV e outro para a área de estar. Como tem espaço dos dois lados, é o tipo de sofá perfeito para quem gosta de receber os amigos em casa. E, vale lembrar que é um modelo que não pode ser utilizado em apartamentos e casas pequenas, já que costuma apresentar a partir de 1,30 m de profundidade.

Conteúdo relacionado: