Black Friday: dicas para fazer compras com segurança

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

Segundo Thiago Sarraf, especialista em e-commerce e consultor, para evitar transtornos, a primeira dica para os consumidores é comprar em sites conhecidos, optando, preferencialmente, por lojas nacionais. "É bom ter cuidado com os sites estrangeiros, já que o Código de Defesa do Consumidor é válido apenas em território nacional. Além de não ser possível exigir o cumprimento de nenhuma de nossas leis, os usuários ainda estão sujeitos a pagar taxas pela entrada do produto no Brasil, entre outras questões”, explica o profissional.

Reprodução/Pixabay

Ainda de acordo com o especialista, é importante buscar por outras opiniões e experiências com a loja. "Basta fazer o famoso ‘jogar no Google’ ou nas redes sociais para checar se há algum tipo de reclamação do site”, aconselha.

Além disso, sempre duvide dos comentários 100% positivos e desconfie de preços muito abaixo do mercado. "Não é nada fácil encontrar um consumidor totalmente satisfeito com todos os aspectos da compra em uma loja virtual. Caso não exista nenhuma crítica, fique atento: trata-se, provavelmente, de pura invenção, inclusive das ofertas milagrosas.

Pesquise em outros sites de confiança ou em ferramentas como o Buscapé”, completa Sarraf. Para ele, o pagamento por cartão de crédito é o mais fácil de se recorrer caso aconteça algum imprevisto nas compras. "É dever do site garantir que os dados do consumidor estejam blindados, verificando se tem o símbolo de cadeado que aparece no canto direito superior da janela do navegador, garantindo que o ambiente é seguro. Desconfie também quando for pedido que se deposite em conta corrente de pessoa física ou em caderneta de poupança: são os recursos preferidos para golpes”.

Outra dica do profissional é aguardar, também, o comprovante por e-mail, com o número do pedido, a descrição do(s) produto(s) adquirido(s) e o prazo de entrega. Se ocorrer algum problema, o cliente deverá utilizar este documento para que o Procon consiga resolver a questão junto a empresa.

Por fim, o especialista aconselha que os consumidores não sejam influenciados pelas ofertas ou condições de pagamento. "Pesquise com calma, avalie a necessidade de adquirir o produto, assim como as informações que são disponibilizadas sobre ele e se a compra irá pesar em seu orçamento. Procure sempre fazer estas perguntas a si mesmo antes de escolher um item”, finaliza.