Famílias ensinam o valor da solidariedade para as crianças

por Pedro Marconi - Grupo Folha
   
Pedro Marconi - Grupo Folha

"Tenho como lembrança marcante a generosidade do meu pai. Se passava alguém em frente de casa ele dava a comida, bebida, deixava a pessoa fazer a refeição na garagem”. Mais do que uma memória, o gesto narrado pela advogada Hylea Ferreira Schell serviu de inspiração para que reproduzisse a solidariedade em sua vida adulta. Agora, são os mesmos valores que tem buscado transmitir aos filhos Augusto, 7, e Felipe, 5.

Pelo menos duas vezes por ano eles separam parte dos brinquedos para doação ao projeto Oficina Raio de Sol, que conserta os objetos e distribui para creches e famílias de bairros vulneráveis. Roupas também são direcionadas para famílias carentes. Nesta semana, por exemplo, foram selecionadas diversas peças que vão para uma igreja, que faz a partilha.

As atitudes da família são simples, mas que somadas fazem a diferença na sociedade e, principalmente, na vida de quem precisa. Para valorizar estas ações, no dia 5 de dezembro é celebrado o Dia Internacional do Voluntariado, instituído pela Organização das Nações Unidas. Para a ONU, voluntário é aquele que dedica parte do seu tempo, sem remuneração, em prol do bem estar social. Saber dividir é trabalhar por um lugar melhor.

"Eles são as únicas crianças da família e, por isso, ganham muitos presentes. Desde quando tinham dois anos comecei a separar os brinquedos para doar. No início não gostavam, não queriam dividir. Entretanto, isso foi mudando. Penso que é essencial na formação do caráter deles como seres humanos”, destacou. Com uma conta no Instagram (londrinapracriança) em que aborda temas como entretenimento e desenvolvimento das crianças, Schell incentiva as mesmas atitudes junto aos seguidores.

Leia a matéria completa na Folha de Londrina

Conteúdo relacionado: