Pais devem ficar atentos ao tempo de exposição dos filhos aos aparelhos eletrônicos

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

Os paranaenses já enfrentam há mais de 10 dias o distanciamento social que é recomendado pelos órgãos internacionais de saúde. Os alunos das redes pública e privada das escolas do Paraná estão sem aulas até o momento. No total são mais de 1.140 milhão de crianças e adolescentes que permanecem em casa todos os dias, muitas vezes deixando pais e mães sem alternativas de atividades.

Reprodução/Pixabay

A ociosidade pode gerar uma grande procura por equipamentos eletrônicos, como tablets e smartphones. Segundo João Guilherme Oliveira de Moraes, oftalmologista da Paraná Clínicas, estudos apontam para problemas que podem se desenvolver ao longo dos anos.

"Alguns especialistas relacionam diretamente a exposição excessiva às telas ao aumento nos números de miopia, provavelmente pelo estímulo precoce ao uso de aparelhos eletrônicos e o grande tempo de exposição”, destaca.

Ainda de acordo com o médico, outros distúrbios, como irritabilidade e perda de sono, são consequências do uso desses equipamentos. "Além de ficarmos mais irritados quando estamos em frente a uma tela, piscamos menos, o que pode gerar a sensação de olho seco, lacrimejamento, vermelhidão e outras situações oculares”, ressaltou Moraes.

O médico aponta que é importante que hajam períodos de descanso. A cada meia hora, o ideal é que os olhos permaneçam fechados por pelo menos cinco minutos para amenizar os sintomas.

Proximidade com os pais

Mesmo longe das escolas, é essencial que as crianças e adolescentes mantenham contato com as atividades escolares. O ideal é que os pais que estão em casa passem mais tempo com eles e os ajudem a estabelecer uma rotina.

Algumas instituições adotaram aulas por meio de videoconferência. Clara Klein, professora e psicóloga da Cultura Inglesa, reforça que a participação dos pais nas atividades é fundamental.

"A interação parental é um fator-chave no engajamento dos filhos com as atividades escolares. Ao longo dos anos, diversos estudos demonstram que crianças cujos pais participam ativamente da educação escolar atingem não apenas melhores notas e desempenho escolar de uma forma geral, mas também uma melhor capacidade de socialização e experimentam um comportamento global mais adequado. Quando demonstram interesse nas atividades escolares, os filhos aprendem a valorizá-las através do espelho dos pais”, explica a professora.

Clara ressalta ainda que é importante estabelecer uma rotina de estudos mesmo em um período tão conturbado. "Dentro da ideia de segurança e estabilidade, desenvolver uma rotina é essencial. É importante que os pais busquem os momentos do dia em que as crianças sentem mais facilidade para se concentrar ou realizar atividades escolares e tentem introduzir o momento de fazer tarefas como uma parte natural da rotina, como comer, tomar banho ou brincar. Tratar as atividades escolares como uma parte interessante da vida ajuda não só enquanto estão todos fechados em casa sem poder sair, mas será útil para que eles levem a vida acadêmica com mais naturalidade e bom humor”, acrescenta.

Conteúdo relacionado: