Saiba mais sobre o uso de roupas apertadas na gravidez

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

São tantos mitos, verdades e palpites sobre a gravidez que uma mãe de primeira viagem se sente perdida diante de diversas dicas, formas de lidar com os sintomas e sugestões de como cuidar do seu bebê que ainda nem nasceu.

Entretanto, uma questão é senso comum durante a gravidez: não é recomendável o uso de roupas apertadas. É muito natural que durante a gravidez a mulher passe por alguns momentos de autoestima baixa, afinal de contas ela ainda está se adaptando a um novo corpo, com muitos hormônios interferindo o tempo todo no seu bem-estar.

Além disso, existe o fato de querer continuar usando suas roupas o máximo possível, mas chega um momento, geralmente no segundo trimestre da gestação, que isso começa a se tornar um tanto quanto perigoso.

Existem casos mais extremos, claro, como gestantes que usam cintas modeladoras, talvez para amenizar o ganho de peso e até para esconder um pouco os efeitos da gravidez. No entanto, dependendo de quão apertada está, ela pode causar a compressão do útero, da bexiga e de artérias e veias importantes.

Isso pode causar complicações vasculares, inchaço e, em casos extremos, até a morte da mãe. Para o bebê, a compressão do útero pode ocasionar um parto prematuro ou dificultar a sua recepção de nutrientes e de oxigênio pela placenta ou pelo cordão umbilical.

É importante salientar que a própria gestante deve se questionar o porquê de ela querer tanto comprimir sua barriga com uma cinta. É necessário que a futura mãe olhe mais para si, se cuide e procure ajuda de um profissional, se for o caso. Ela precisa estar bem para exercer sua função de mãe plenamente.

Além do mais, o estresse que a mãe sente faz com que uma série de hormônios sejam liberados, como adrenalina e cortisol, por exemplo. Eles são responsáveis por causar alterações físicas e psicológicas. Já é comprovado, por exemplo, que bebês de mães com gestações estressantes têm mais propensão à depressão, hiperatividade, déficit de aprendizado e mais. Entretanto, a boa notícia é que um bom profissional vai ajudá-la.

No entanto, na maioria das vezes, a vontade de usar roupas justas está relacionada tão somente porque a gestante simplesmente gosta e quer manter seu estilo.

Em 2015, a celebridade Kim Kardashian, casada com o cantor americano Kanye West, foi muito criticada por aparecer no seu reality do canal E!, Keeping

Up With The Kardashians, usando o mesmo tipo de roupa justa de quando não estava grávida.

Pelo seu grau de exposição, Kim acabou gerando discussões sobre o assunto, já que apareceu com sandálias de tiras que pressionavam muito seus pés inchados em decorrência da gestação. Uma mulher grávida com esse tipo de atitude pode ter dores, assaduras ou reações alérgicas ocasionadas por suas escolhas fashion.

O volume sanguíneo no corpo da mulher aumenta 60% durante a gestação e, por causa disso, ela retém mais líquido e fica mais inchada. Os pés são os principais afetados pelo inchaço. Mesmo assim, não precisa excluir o salto do seu look, só prefira saltos menores e quadrados para ter mais apoio.

O sutiã e a calcinha também precisam respeitar o "novo” corpo da futura mamãe. Prefira uma roupa íntima de algodão, já que o tecido permite a transpiração da região pélvica. Assim, evita sérios problemas como infecção de urina, corrimento vaginal e irritação da pele. O segredo é nunca deixar essa região úmida e abafada.

Os seios também merecem especial atenção, tendo em vista que tendem a aumentar na gestação, já se preparando para a amamentação. Assim, é melhor já começar a usar sutiãs com maior sustentação, com alças mais largas (podem ser os sutiãs que serão usados para amamentação) para dar um suporte maior para o busto.

Com relação às calças jeans, é melhor evitar as justas independente da gestação.

Roupas de gestante - A regra é clara: quanto mais confortável, melhor. Atenção aos tecidos também: quanto mais leves e flexíveis, melhor. Não use nada que não permita a respiração da pele. Mas, como falamos anteriormente, a mulher precisa se sentir bem. E por muitos anos as pessoas foram

acostumadas com a noção de que roupa de grávida tinha cara de roupa fora de moda.

Isso ficou no passado, já que hoje em dia já existem marcas como a Mammybelt que fornecem uma linha de moda gestante contemporânea e prática. Ninguém mais precisa perder o seu estilo próprio na gravidez.

Além das diversas opções de vestidos, blusas, regatas, saias e calças confeccionadas com tecidos confortáveis, que se ajustam e valorizam as formas da gestante, a marca comercializa também roupas para o período da amamentação. Um ponto interessante sobre as peças da marca é que elas podem ser usadas mesmo após a gravidez.

Conteúdo relacionado: