Tendências de primavera/verão aquecem mercado da moda

por Assessoria de imprensa e Redação Bonde
   
Reprodução/Pixabay

Com o aumento da temperatura e o verão cada vez mais próximo, surgem novas tendências de estilo. Neste ano, entretanto, a moda não está sendo afetada somente pela estação, sendo também influenciada por um outro fator: a pandemia causada pelo novo coronavírus, que tem modificado a maneira de se vestir e afetado de várias formas o mercado da moda.

Por conta do período de quarentena, que teve maior força durante o primeiro semestre do ano, muitas pessoas passaram grande parte do tempo em casa, fator que influenciou diretamente a maneira de se vestir.

A busca por peças mais casuais e confortáveis, permitindo aproveitar o ambiente informal de casa, mas ainda estar adequado com o trabalho, continua forte e caminha para se tornar uma das principais tendências da estação.

Uma das principais tendências que surgiram durante a temporada outono/inverno, mas que ainda podem ser aproveitadas durante os dias mais quentes, são as calças de tecido mole e as camisas de diferentes tecidos e modelagens. Ambos os tipos de peça permitem uma boa mobilidade, além de proporcionar uma aparência bem arrumada.

Na estação primavera/verão, as cores têm uma grande influência para determinar o estilo da composição, com tons pastéis, terrosos e cores vibrantes como as principais do momento. Além disso, algumas estampas, como tie dye, uma referência dos anos 70, também voltaram com força.

Além disso, vestidos longos e conjuntos têm aparecido em composições de fashionistas e famosas com frequência, ganhando novas características, como corset sobre o vestido, criando um mix de texturas, ou o conjunto em cores monocromáticas, outra tendência que segue desde a época outono/inverno.

Referências do estilo bucólico e até inspiração na era vitoriana, com mangas bufantes, babados e tules - tudo de maneira leve e delicada -, são outros elementos que têm aparecido nas passarelas e podem marcar as vitrines durante os próximos meses, prometendo aquecer ainda mais o mercado da moda.

Dificuldades no setor

O que poucas pessoa imaginam é que a influência da pandemia foi além das novas referências para a hora de se vestir. O mercado do vestuário no mundo todo teve uma queda no começo da pandemia, mas, com a normalização das atividades, tem voltado a se restabelecer.

Essa súbita demanda no setor das confecções tem causado problemas na hora de adquirir fibras de algodão e outros fios, o que pode causar problemas nas confecções de roupas femininas masculinas - situação que já tem sido notada por fabricantes e vendedores brasileiros.

Muito disso se deve a problemas na hora de importar certos fios de países como a China, aliado a um movimento de exportar fibras de algodão por conta da alta do dólar, prejudicando a circulação interna do material.

Conteúdo relacionado: