Álcool em gel caseiro pode acarretar sérios problemas à saúde

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

A falta de álcool gel nos comércios e o aumento de preços do produto, devido a pandemia da Covid-19, têm levado pessoas a recorrer a receitas caseiras para a fabricação do antisséptico.

Reprodução/Pixabay

Percebendo a necessidade de informações significativas, professores e alunos dos cursos da área da saúde, do PET (Programa de Educação Tutorial) Interprofissional Maringá, da UEM(Universidade Estadual de Maringá), estão estudando e produzindo materiais de cunho informativo, tendo como referência a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e o Conselho Federal de Química.

O grupo identificou que a produção do álcool gel caseiro pode aumentar o risco de acidentes, provocando incêndios, queimaduras de grau elevado e irritação da pele e mucosas, além de alergias; sem garantia de eliminação do coronavírus.

Roberto Esteves, um dos tutores do PET, alerta que nesse período de falta de produto, há várias pessoas aproveitando da situação para comercializar o álcool gel. "Desconfie de produtos sem rótulos e observe se no rótulo há número de registro do produto e os dados do profissional responsável técnico (nome e registro profissional)”.

O álcool gel industrializado passa por uma rigoroso processo de produção. "Há padrões a serem seguidos de controle de qualidade para padronização e regularidade dos produtos disponibilizados ao consumidor final” explica Esteves.

O registro de produtos para a saúde, cosméticos e saneantes é feito pela Anvisa.

Conteúdo relacionado: