Automassagem pode ajudar a aliviar dores e estresse

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

A adaptação brusca que a maioria das pessoas precisou fazer para trabalhar em casa é um agravante para a saúde física. "Dores nas costas, nos músculos e na cabeça são alguns dos problemas físicos que surgiram durante a quarentena”, é o que afirma o fisioterapeuta Bernardo Sampaio, diretor clínico do ITC Vertebral, unidade de Guarulhos.

Reprodução/Unsplash

Atendendo por telemedicina, as queixas aumentam à medida em que o prazo para o fim da quarentena é estendido. Diante disso, a automassagem acaba sendo uma excelente alternativa. Segundo o fisioterapeuta praticar a automassagem nos momentos de tensão irá promover o alívio dores, estresse e ansiedade. "A automassagem pode ser realizada em qualquer momento e lugar, sendo principalmente recomendada para pessoas que passam muito tempo sentadas ou que estão constantemente em situações que causam estresse”, resume.

Para ajudar a acalmar a mente, eliminar a ansiedade e o estresse, Bernardo Sampaio separou algumas técnicas de automassagem. Confira:

Para os pés

Com o polegar, massageie profundamente a sola dos pés, fazendo pequenos círculos no sentido horário. Depois, segure o dedão do pé entre os dedos e faça pequenos círculos ao longo do dedo, começando pela base e apertando levemente a ponta. Realize o mesmo movimento nos outros quatro dedos dos pés. Você pode fazer isso de 3 a 5 minutos.

Para o rosto

Esse tipo de automassagem é ideal para ser feita em qualquer horário do dia e traz benefício imediato. Antes de começar esfregue as mãos a fim de aquecê-las e depois coloque as palmas das mãos na testa, alisando-a para fora, uma mão após a outra. Com os polegares, sinta as cavidades do osso da testa e pressione suavemente.

Depois, com dois dedos massageie as asas do nariz de cima para baixo. Primeiro com os dois dedos embaixo do nariz, pressionando com os dois dedos do meio na cavidade entre o lábio inferior e o queixo. Esse gesto relaxa as mandíbulas, muitas vezes tensionadas pelo estresse.

Para o pescoço e ombros

Comece relaxando o lado que parece mais tenso. Segure totalmente o músculo do ombro e aperte-o algumas vezes com a palma da mão, deslocando a pressão da base do pescoço para a articulação do ombro. Depois repita novamente no outro ombro. Outro movimento que pode ser feito é levar as duas mãos atrás do pescoço fazendo movimentos como se estivesse esfregando algo, para frente e para trás.

Para dores nas costas

Em uma cadeira com os pés apoiados no chão, endireite as costas. Após isso, coloque os polegares em cada lado do sacro, o osso que fica na parte inferior da coluna. Mova os dedos em pequenos movimentos circulares, subindo e descendo e então aplique pressão nos pontos que mais estiverem tensos. Pause e solte. Continue conforme necessário e lembre-se de respirar profundamente enquanto realiza a massagem.

Para aliviar o estresse

Comece massageando lentamente o couro cabeludo, com movimentos para frente, para trás e para os lados. Após isso, massageie o rosto, fazendo uma série de pequenos círculos com os polegares. Dê uma atenção especial às têmporas, testa e aos músculos da mandíbula. Utilize os dedos do meio para massagear a ponta do nariz, passando pelas sobrancelhas até chegar as têmporas. Por fim, feche os olhos e coloque as mãos sobre o rosto, inspire e expire tranquilamente por um curto período de tempo.

Para dor de cabeça

Comece massageando as têmporas com os dedos ou as palmas das mãos, fazendo movimentos circulares no sentido anti-horário. Depois coloque os polegares na base do crânio, atrás das orelhas e pressione toda a crista óssea até o centro. Por fim, incline a cabeça para frente, apoie-a com uma mão na testa, o cotovelo sendo colocado sobre uma mesa. Com a outra mão, pressione com suavemente a parte de trás do seu pescoço.

O fisioterapeuta alerta que a automassagem é apropriada apenas se a pessoa estiver com dores leves. "Cuidar de si mesmo deve ser uma das nossas principais preocupações durante esse período de confinamento, mas se as dores forem intensas ou contínuas o mais indicado é consultar um especialista via telemedicina e ver qual o melhor método a ser tomado”, finaliza Bernardo Sampaio.

Conteúdo relacionado: