Como proteger sua privacidade na internet?

por Folhapress
   
Pixabay

A professora Carissa Véliz, da Universidade de Oxford, defende que é preciso acabar com o modelo digital baseado nos dados pessoais. Conheça algumas das dicas que ela dá no livro "Privacidade é Poder":

Quando for postar algo, pergunte-se como isso pode ser usado contra você

Se você quer quer os estudantes debatam livremente na sala de aula, não permita que os alunos gravem ou postem o que ocorre ali

Pense duas vezes antes de comprar um assistente digital como Alexa ou Google Home. Se você já tem um, pode desconectá-lo. Vira um ótimo peso para papel

A menos que você saiba montar configurações sofisticadas de privacidade em seu celular, melhor ficar longe dos Androids

Para enviar mensagens, a opção mais segura é provavelmente o Signal. O Telegram tem a vantagem de que, quando você apaga algo, pode apagar de todos os celulares, a qualquer momento. Mas sua criptografia é considerada menos segura

Emails são inseguros. Podem se parecer com uma carta, mas na verdade são mais um cartão-postal sem envelope

Quando uma empresa lhe pedir um email, dê seu email mais o nome que identifica a empresa. Exemplo: meuemail+empresa @email.com. Os emails chegarão normalmente e você saberá o que a aquela empresa fez com a informação que você deu

Pare de usar o Google como principal ferramenta de busca. DuckDuckGo e Qwant são opções com maior privacidade.

Use navegadores diferentes. Brave é um browser desenhado com mais respeito à privacidade.

Ao comprar produtos, escolha modelos que não se conectem à internet

Conteúdo relacionado: