Servidores do HU/UEL terão atendimento psicológico gratuito

por Beatriz Botelho/Agência UEL
   

Servidores do HU (Hospital Universitário), da UEL (Universidade Estadual de Londrina) que estão na linha de frente ao atendimento de pacientes com suspeita de coronavírus, terão à disposição apoio psicológico de profissionais de Londrina. A iniciativa é da PROPPG (Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da UEL) e de professores do curso de graduação em Psicologia, dos Programas de Pós-graduação em Psicologia e em Análise do Comportamento, e das Residências Multiprofissional e em Psiquiatria do HU/UEL.

Agência UEL

Eles mobilizaram psicólogos clínicos de Londrina para os cuidados com a saúde mental dos servidores do Hospital, e formaram o Grupo de Psicólogos Voluntários de Suporte Psicológico Covid-19. De acordo com uma das idealizadoras da ação, Silvia Meletti, psicóloga e diretora de Pós-Graduação da PROPPG, o trabalho dos profissionais da saúde já é considerado estressante e pesado, e com a intensificação dos casos de coronavírus, isso pode se acentuar. "A questão da pandemia gera um peso no trabalho dessas pessoas, algo que a gente nunca vivenciou. Eles vão trabalhar no limite das condições físicas e emocionais", explica.

As pesquisas mostram, segundo Josy Moriyama, professora do Departamento Psicologia Geral e Análise do Comportamento, que 20% dos profissionais da saúde que passam por situações de pandemia como a atual, desenvolvem, posteriormente, transtorno de estresse pós-traumático, ansiedade, depressão e até sofrem com abuso de substâncias. Por isso, ela diz ser necessário ações de cuidado com a saúde mental.

"É importante neste momento que eles se sintam cuidados também. Nós vamos estar na retaguarda para dar esse suporte emocional para eles e mostrar que vão conseguir", afirma a professora.

Para atendimento dos servidores do HU/UEL, foram convidados psicólogos de Londrina, com experiência em atendimento clínico. Conforme avaliação das professoras, o retorno foi positivo e, em menos de 24 horas, 35 pessoas se prontificaram a fazer o atendimento voluntariamente. Josy Moriyama afirma que a expectativa é reunir cerca de 100 profissionais confirmados.

Atendimento

Segundo Silvia Meletti, o atendimento não será como a psicoterapia clássica, mas de apoio psicológico. É uma forma de atendimento mais urgente, breve e de suporte, que possibilita estratégias para lidar com os problemas. "Ele colabora para que o profissional dê conta do peso do trabalho que terá", explica.

Para agendar o atendimento, o servidor poderá entrar em contato pelo telefone (43) 3371-4513 (WhatsApp). É preciso informar nome, horário e dias disponíveis para atendimento, além da plataforma que deseja ser atendido. O atendimento será realizado de forma remota, seguindo as orientações de combate ao coronavírus, e dentro de todas as exigência do CFP (Conselho Federal de Psicologia). Silvia é a responsável pelo gerenciamento da agenda de atendimento, de acordo com a disponibilidade do servidor e do psicólogo voluntário cadastrado.

Este apoio psicológico é a primeira etapa da ação. Ainda segundo Silvia Meletti, caso se perceba que os servidores estão passando por sofrimento agudo ou crise de ansiedade importantes, eles serão encaminhados para atendimento psicoterápico ou atendimento psiquiátrico, com os residentes da UEL, que também estarão à disposição.

Frentes

Serão duas principais frentes de trabalho. Uma é dos atendimentos, que serão divididos em vários subgrupos, relacionados aos servidores que estão em atuação, outros que estão em quarentena, suporte de emergências e ainda suporte de prevenção - para as possíveis consequências do período.

A outra frente é a produção de material informativo, que será disponibilizado para que os servidores apontem sintomas da própria saúde mental e também dos colegas de trabalho. O material será produzido em parceria com a COM (Coordenadoria de Comunicação da UEL).

Conteúdo relacionado: