Colégio de Londrina oferece apoio emocional e psicológico aos alunos

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   
Pixabay

Uma iniciativa do Colégio Sigma, de Londrina, busca oferecer apoio emocional e psicológico para os alunos nesse cenário de pandemia. Uma pesquisa online realizada entre os estudantes no mês de junho apontou que a maioria, 70%, se sentia com muita dificuldade e/ou com oscilações de humor frequentes. Entre eles, 65% dos alunos do Ensino Médio solicitaram apoio psicológico para a escola.

A pesquisa apontou ainda que alguns alunos estavam com dificuldade com a rotina, principalmente em relação aos estudos, sensação de não produtividade, dificuldades no relacionamento familiar (ampliado pelo isolamento social), sentimento de frustração, medo pela falta de perspectivas, entre outros.

A pandemia mudou a vida e a rotina de muita gente, destaca Fernanda Hatti, mantenedora do colégio, e os alunos também foram muito impactados. "Nossa preocupação é com a plenitude de cada um. Eles precisam estudar, mas para aprenderem precisam estar bem emocionalmente. Entendemos que, enquanto escola, podemos ter um olhar que identifica essas dificuldades e intervir oferecendo possibilidades para que possam resolver essas dificuldades”, pontua Fernanda, acrescentando que o equilíbrio da saúde mental pode contribuir para o bom desempenho dos estudantes no Enem e nos vestibulares.

Com os dados da pesquisa em mãos, a equipe do colégio desenvolveu ações e buscou parcerias com psicólogos. O projeto "Escuta Responsável" é um dos trabalhos executados em parceria com estudantes do último ano do curso de Psicologia. À frente dessa iniciativa, Sandra Egashira, psicóloga e consultora de RH do colégio, conta que o objetivo dessa ação é oferecer um "espaço” para os alunos poderem colocar suas dificuldades e falar sobre suas emoções.

Segundo ela, os primeiros atendimentos aconteceram nesse mês de julho e foram muito importantes para o projeto ser ajustado e melhor formatado. O projeto continua. Os estudantes que sentirem necessidade podem entrar em contato com a escola.

A partir da escuta, acrescenta a psicóloga, foram realizados alguns encaminhamentos para acompanhamentos com psicólogos conveniados ao Sigma e também devolutivas para a direção e coordenação pedagógica do colégio com o intuito de definir ações para ajudar o aluno no enfrentamento deste momento.

Sandra ressalta que a pesquisa não é uma novidade no colégio. No ano passado foi iniciado um processo de ouvir todos os segmentos da comunidade escolar: pais, alunos, colaboradores, professores e coordenação pedagógica. As informações, destaca ela, seriam importantes para o planejamento estratégico da escola.

Na ocasião, por exemplo, foi realizada uma pesquisa qualitativa com os alunos e constatado que eles se queixavam de ansiedade por se sentirem cobrados e pressionados em relação ao vestibular, entre outros pontos. Alguns solicitaram apoio para atendimento psicológico. "E com a pandemia sentimos a necessidade de realizar outra pesquisa para entender como o aluno estava enfrentando este momento”, acrescenta.