Professores seguem em vigília em Londrina contra prova do PSS

por Viviani Costa
   

Profissionais da rede estadual de ensino permanecem mobilizados em todo o Paraná para reivindicar a anulação do edital 47/2020 que altera regras para a contratação de professores e pedagogos por meio do PSS (Processo Seletivo Simplificado).

Em Londrina, o chamado ‘Ato da Educação’ começou por volta das 9 horas, em frente ao NRE (Núcleo Regional de Educação), na avenida Maringá, região oeste da cidade. O grupo formado por, aproximadamente, 20 pessoas se reveza para dar continuidade à mobilização que deve se estender durante a tarde.

Sem a realização de concurso público, o Paraná possui 41,7 mil professores efetivos e mais de 20 mil professores temporários contratados anualmente por meio de PSS. No entanto, desta vez, o edital estabelece o pagamento de taxas de inscrição e a realização de uma prova presencial no mês de dezembro, em meio à pandemia da Covid-19. Profissionais classificados que pertencerem ao grupo de risco não serão convocados para as vagas e terão que aguardar o fim da pandemia.

"Queremos professores concursados em sala de aula, com os direitos assegurados e uma educação de qualidade”, ressaltou a professora Sandra Claudino. Ela atua como PSS desde 2003 e vai terminar este ano letivo com, aproximadamente, 200 alunos de três colégios diferentes.

Leia a matéria completa na Folha de Londrina

LEIA TAMBÉM:Professores protestam contra mudança da prova de PSS em Londrina

.