Reitor da UEL assina decreto para volta de atividades presenciais

por Redação Bonde com UEL
   

Ato Executivo assinado pelo Reitor Sérgio Carvalho, da UEL (Universidade Estadual de Londrina)l, nesta sexta-feira (16), definiu o retorno das atividades administrativas presenciais, a partir do próximo dia 22 de outubro, de maneira escalonada e progressiva, considerando medidas para evitar aglomerações e a possibilidade de jornada em horários diferenciados.

Servidores com idade igual ou superior a 60 anos, gestantes, mães com filhos até seis meses de idade, ou que apresentem condições clínicas especiais, poderão solicitar regime de teletrabalho, ou afastamento, em razão de impossibilidade técnica, ou operacional. De acordo com o novo Ato (leia a íntegra aqui), as atividades acadêmicas curriculares presenciais e eventos presenciais permanecem suspensos.

Na UEL, o trabalho presencial estava suspenso com migração para teletrabalho e manutenção de atividades essenciais desde 17 de março. A decisão de retorno das atividades administrativas presenciais nesse momento leva em conta o atual quadro epidemiológico do Paraná e de Londrina, que apresentam queda no número de pacientes infectados e consequente redução da circulação do vírus, conforme apontam as estatísticas oficiais, com base no monitoramento de pacientes.

De acordo com as regras previstas no documento, o retorno do trabalho presencial deverá ser feito com escalas e turnos, a fim de evitar aglomerações de pessoas nas unidades. Caberá às chefias das unidades planejar, acompanhar, fiscalizar e comunicar à Pró-reitoria de Recursos Humanos (PRORH), a programação realizada pela unidade mensalmente.

Atendimento presencial

O novo Ato Executivo prevê, ainda, regras rígidas para o atendimento externo em todas as unidades, que se dará, prioritariamente, de forma não presencial até o dia 15 de novembro, excetuadas situações em que não haja esta possibilidade. Nesses casos, deverá ser garantido distanciamento social, uso de máscara e desinfecção de mãos com álcool 70%.

Todas as unidades deverão observar os cuidados de disposição de mobiliários, de forma a garantir distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas e manter os espaços ventilados sempre que possível.

Todo o planejamento das escalas de revezamento nas unidades deverá considerar, também, horários diferenciados, uso de transporte coletivo e a necessidade de rodízio nos espaços de alimentação. A circulação entre os setores dentro da universidade deve ser evitada, assim como as reuniões, que deverão ser realizadas de maneira remota.

Além dos servidores, o novo Ato Executivo também estabelece o retorno presencial dos residentes técnicos e estagiários, de nível médio, superior e de pós-graduação, com idade igual ou superior a 18 anos. Caberá às chefias das unidades avaliar, planejar, acompanhar e fiscalizar a programação e distribuição das atividades, aplicando os mesmos critérios de afastamento para teletrabalho ou dispensa, no caso de pessoas com doenças especiais, gestantes ou lactantes.

Conteúdo relacionado: