UEL doa mais de 700 máscaras para idosos em instituições de acolhimento

por Agência UEL de Notícias
   

Idosos do Asilo São Vicente de Paula, do Lar dos Vovôs e do Lar Maria Tereza receberam nesta quarta-feira (20), um lote de 700 máscaras produzidas pelos integrantes do Núcleo de Estudos em Saúde do Trabalhador juntamente com o projeto de extensão "UEL pela Vida, contra o Coronavírus". As máscaras chegam exatamente quando as autoridades de saúde afirmam que o Paraná deverá atingir o pico de contaminações pelo Coronavírus, por isso a necessidade de melhorar a proteção dos idosos, parcela da população considerada mais vulnerável à doença.

Divulgação/Agência UEL

Também foram entregues mais de 30 máscaras Face Shelds, colaboração da empresa Kobra Tecnologia. Segundo a professora do Departamento de Enfermagem, Renata Perfeito Ribeiro, uma das coordenadoras do Núcleo, os tecidos e demais materiais foram comprados pelos participantes de um grupo que pesquisa a utilização e eficiência das máscaras na prevenção da Covid-19. A confecção foi de um grupo de professoras aposentadas do Departamento de Enfermagem, juntamente com voluntárias.

Um levantamento realizado pelo projeto "UEL pela Vida, contra o Coronavírus" constatou a necessidade das instituições de longa permanência, dentro da ação com idosos de Londrina. As máscaras foram confeccionadas com tecido 100% algodão e duplo e com modelos para homens e mulheres. Segundo a professora Renata, a máscara e o distanciamento entre pessoas são medidas fundamentais.

Ela explica que o tecido duplo funciona como uma barreira para o vírus quando a pessoa fala ou respira, evitando a contaminação. Junto com a máscara, a equipe incluiu orientações para a utilização correta. A limpeza pode ser feita em uma solução de um litro de água e duas colheres de água sanitária. A máscara deve permanecer nessa solução por 30 minutos. Após isso, é só lavar com água e sabão.

A professora destaca que as mulheres, principalmente, têm demonstrado preocupação com o fato da máscara combinar com a roupa, como um acessório. "Não há problema em usar um outro tecido, como lese, por exemplo, mas atrás é importante utilizar o algodão. A pessoa vai estar protegida", recomenda.

Uma forma de testar se a máscara veda, é colocá-la contra a luz. Se for possível enxergar os feixes é porque o tecido não está adequado. Outra forma de avaliar a eficiência é acender uma vela, posicionar a máscara a 15 centímetros de distância e assoprar. Se a vela apagar significa que o tecido não veda.

Cuidados

Segundo a responsável técnica do Lar das Vovozinhas, Gisele Ferreira Marques de Almeida, as mascaram chegam em boa hora e se somam a uma série de cuidados para evitar qualquer risco de contaminação dos idosos. Ela explica que as medidas recomendadas pelas autoridades de saúde incluem a suspensão e restrição de visitas.

Os funcionários, quando chegam para trabalhar, trocam a roupa e fazem uma higienização completa das mãos. O Lar abriga hoje 70 idosos, que não apresentam qualquer sintoma. Por recomendação das autoridades, no caso de um idoso demonstrar tosse ou febre, a indicação é acompanhar a pessoa , que poderá ser isolada em um cômodo individual ou ser encaminhada à Unidade de Saúde. Da mesma forma, funcionários que apresentarem sintomas também deverão ser dispensados temporariamente como forma de prevenção.

Conteúdo relacionado: