DiCaprio ajuda a criar fundo de alimentos que já acumula US$ 12 milhões

por Folhapress
   

O ator Leonardo DiCaprio, a executiva Laurene Powell Jobs, a Fundação Ford e a Apple se juntaram para criar um "Fundo de Alimentos da América", que já arrecadou US$ 12 milhões (cerca de R$ 62,8 milhões) para ajudar as comunidades afetadas pelo coronavírus.

Divulgação

A organização afirmou nesta quinta-feira (2) que os fundos serão destinados a ajudar famílias de baixa renda, idosos, indivíduos que perderam o emprego e crianças que dependem da merenda escolar para se alimentar.

"Diante dessa crise, organizações como a World Central Kitchen e a Feeding America nos inspiraram com seu compromisso inabalável de alimentar as pessoas mais vulneráveis em necessidade", disse DiCaprio em seu perfil no Instagram. "Agradeço a eles por seu incansável trabalho na linha de frente, eles merecem todo o nosso apoio".

"Com milhões perdendo seus empregos, e programas de merenda escolar em risco, garantir que as pessoas não passem fome é da maior urgência", disse Powell Jobs.

OUTRAS DOAÇÕES DE FAMOSOS

Em meio à pandemia do novo coronavírus, famosos têm se mobilizado e organizado doações para os mais necessitados. Shawn Mendes, por meio de sua fundação, já doou U$S 175 mil (cerca de R$ 887 mil) para um hospital do Canadá.

Assim como ele, Xuxa, por meio da empresa Espaçolaser, do qual é sócia, anunciou uma doação no valor de R$ 1 milhão para o SUS (Sistema Único de Saúde).

Já Ivete Sangalo doou 1.000 Camas Box e 5.000 peças de roupas para uma unidade de combate ao Coronavírus e acolhimento a população carente contaminada em Salvador, segundo informou o Governador da Bahia, Rui Costa.

Os atores Ryan Reynolds e Blake Lively decidiram doar US$ 1 milhão (cerca de R$ 4,95 milhões) para duas instituições de caridade dos Estados Unidos e do Canadá, devido a pandemia do novo coronavírus.

O cantor Justin Timberlake também afirmou que faria uma contribuição, cujo valor não foi divulgado, para um centro de doação de comida em Memphis, Tennessee, sua cidade natal. "Essa é uma época louca, mas lembrem-se de que estamos todos juntos. Apoie sua comunidade local levando comida para aqueles que precisam", disse ele, no Instagram.

Já Rihanna fez uma doação de US$ 5 milhões (cerca de R$ 25,3 milhões), por meio da ONG Clara Lionel Foudantion, do qual é uma das fundadoras, para iniciativas de combate ao coronavírus ao redor do mundo.

Além dela, Penélope Cruz fez uma doação para um hospital de Madri, na Espanha, para contribuir com o combate da pandemia do novo coronavírus, que tem 64 mil casos confirmados e mais de 4.000 mortes por causa do vírus. Em seu perfil em uma rede social, a atriz contou que comprou cerca de 100 mil luvas e 20 mil máscaras.

No fim de fevereiro, na Coreia do Sul, Bong Joon-ho, diretor do filme ganhador do Oscar "Parasita", e Suga, da banda de k-pop BTS, doaram cada um cerca de US$ 82 mil (R$ 415 mil) para a compra e distribuição de máscaras e álcool gel no país.

No início de fevereiro, Justin Bieber fez uma doação, cujo valor não foi revelado, para uma ONG chinesa.

No mundo do futebol, segundo a imprensa espanhola, o jogador Lionel Messi, do Barcelona, doou 1 milhão de euros (R$ 5,4 milhões) para dois hospitais, um da Catalunha e outro de Rosário, cidade natal do jogador.

Conteúdo relacionado: